Comando da Polícia Militar retira policiais com pretensões eleitorais das ruas

Recomendação é para que oficiais na condição de pré-candidato sejam remanejados para atividades administrativas

Por Larissa Claro

O comando da Polícia Militar da Paraíba quer evitar que policiais tomem proveito do cargo para se promover nas eleições deste ano. Por meio da Corregedoria-Geral da corporação, uma recomendação foi expedida aos comandantes regionais de João Pessoa, Campina Grande e Patos para que os oficiais que atuam na área operacional sejam remanejados para atividades administrativas “o mais rápido possível”. Em 2018, o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) registrou 25 candidaturas de policiais militares.

Só na Região Metropolitana de João Pessoa – de acordo com corregedor-geral da Polícia Militar, coronel Severino do Ramo Gerônimo de Araújo – cerca de 10 policiais estão nesta condição. Uma reunião com estes pré-candidatos já aconteceu na Capital e a Corregedoria aguarda que os comandos regionais enviem a relação dos demais pré-candidatos e promovam a movimentação daqueles que atuam na praça.

O corregedor justificou o remanejamento como necessário para preservar o nome da instituição. “Devemos agir com todos com imparcialidade e isenção. Então, não é recomendável que um policial que comanda um Batalhão ou uma Companhia permaneça no posto se ele vier a ser candidato para não tirar proveito da estrutura da Polícia Militar em benefício dele”, disse coronel Gerônimo, garantindo não haver prejuízo para a população.

O policial que levar a candidatura à frente será afastado das atividades durante o Pleito Eleitoral pela Justiça. O prazo de desincompatibilização do TRE-PB para policiais militares é de seis meses.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *