Legislativo 11:29

Wallber Virgolino apresenta novo pedido de impeachment contra João e Lígia

Novo pedido de impeachment mantém praticamente os mesmos argumentos apontados na peça rejeitada pela Casa

Deputado Wallber Virgolino defende o impeachment do governador e da vice. Foto: Nyll Pereira/ALPB

O deputado estadual Wallber Virgolino (Patriotas) apresentou novo pedido de impeachment contra o governador João Azevêdo (Cidadania) na Assembleia Legislativa. O documento pede ainda o afastamento da vice-governadora, Lígia Feliciano (PDT). Esta é a segunda tentativa do parlamentar de ver o processo em andamento na Casa. Da primeira, o pedido foi arquivado pelo presidente do Legislativo, Adriano Galdino (PSB).

Virgolino tem contestado as informações de que há fragilidades no texto. Ele assegura que há amparo legal para as alegações. O documento atual traz apenas a assinatura dele, mas, desta vez, com o reconhecimento de firma. A falta de autenticação foi apontada pela Procuradoria da Assembleia como um dos motivos para a rejeição da matéria.

Entre os pontos usados para embasar o pedido, está o fato de as demissões dos secretários, após as denúncias, terem saído por iniciativa dos suspeitos. Virgolino alega que foi preciso, em todas as oportunidades, que o Ministério Público da Paraíba denunciasse o auxiliar para que ele fosse exonerado. O deputado também alega que delações de Livânia Farias indicariam que houve beneficiamento de João Azevêdo.

Outro ponto ressaltado é que os contratos com as organizações sociais foram renovados com o governo do Estado, apesar das denúncias. Um exemplo é o fato de o Ipcep ter sido credenciada como organização social e ter tido o contrato renovado. Sobre Lígia, ele cita o fato de Renato Feliciano, filho dela, ter figurado entre os secretários de Estado. Ele ocupou a Secretaria de Turismo do governo.

O presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino, disse que mandará para a Procuradoria da Casa todos os pedidos de impeachment contra o governo e, só após análise, decidirá sobre abertura ou não da investigação.

Confira a íntegra da denúncia:

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *