Líder da oposição fala em “jabutis” e critica a criação da Fundação PB Saúde

Matéria foi rejeitada na CCJ, apesar da maioria governista, e vai ao plenário da Assembleia. Governistas rebate acusações

Raniery Paulino faz críticas à Fundação PB Saúde. Foto: Roberto Guedes/ALPB

A rejeição do projeto que propõe a criação da Fundação PB Saúde, na Comissão de Constituição Justiça (CCJ), nesta terça-feira (12), botou fogo nas discussões na Assembleia Legislativa nesta quarta. Descontente com a repercussão do caso na imprensa, o líder da oposição, Raniery Paulino (MDB), ocupou a tribuna do Legislativo para apontar o que chamou de “jabutis” inseridos no projeto. As acusações foram rebatidas, também da tribuna, pela deputada Pollyanna Dutra (PSB).

Paulino acusa o governo de ter inserido no projeto encaminhado à Assembleia Legislativa um dispositivo que abre espaço para terceirização e quarteirização dos serviços. “Vem daí a porta aberta para a corrupção”, criticou o deputado. Ele diz, também, que o projeto permite que a PB Saúde, com verniz de legalidade, volte a contratar organizações sociais. “Alguém tem dúvida do efeito danoso das OSs a Paraíba?”, questionou.

O deputado fez coro, também, com o deputado estadual Wallber Virgolino (Pode), que votou contra a matéria na CCJ. Virgolino, assim como Paulino, aponta vício de constitucionalidade no dispositivo que autoriza a Fundação a contratar sem concurso. Eles usam, para isso, os argumentos contidos em ofício assinado pelo Procurador do Trabalho, Eduardo Varandas. Paulino diz que desde 2011 ele denuncia as irregularidades na saúde e diz que todos os alertas de Varandas, feitos na época, se concretizaram.

O contraponto ao deputado foi feito pela presidente da CCJ, Pollyanna Dutra. Ela criticou o fato de os colegas oposicionistas terem feito críticas ao projeto citando as gestões anteriores. O atual governador, João Azevêdo (Cidadania), rompeu com o ex-padrinho político, Ricardo Coutinho (PSB). Foi na gestão do socialista que foi implanta A primeira gestão com organizações sociais no governo do Estado. A OS em questão foi justamente a Cruz Vermelha Brasileira, que teria pago propinas a agentes públicos.

Pollyanna, na defesa do governo, disse que há previsão legal para a instalação da Fundação PB Saúde. Citou como exemplo da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para justificar a lisura da proposta apresentada pelo governo. Ela disse ainda que o órgão pertencerá à organização direta e será comandada pelo secretário de Saúde e pelo governador do Estado. Ela lembrou, também, que ao contrário das OSs as fundações são mais transparentes.

2 comentários - Líder da oposição fala em “jabutis” e critica a criação da Fundação PB Saúde

  1. teka Disse:

    ai e onde mora o perigo

  2. eu Disse:

    ai e onde mora o perigo

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *