MPPB denuncia Ricardo, Estela, Cida e mais 32 alvos da operação Calvário

Agentes públicos, empresários e operadores financeiros são denunciados por participação em suposta organização criminosa

Ricardo Coutinho é acusado de liderar suposta organização criminosa. Foto: Francisco França

O Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e a Comissão de Combate aos Crimes de Responsabilidade e a Improbidade Administrativa (Ccrimp), do Ministério Público da Paraíba (MPPB), denunciaram 35 agentes públicos, empresários e operadores financeiros pela suposta formação de uma organização criminosa. A lista inclui entre os nomes o ex-governador Ricardo Coutinho, além das deputadas estaduais Cida Ramos e Estela Bezerra e da prefeita do Conde, Márcia Lucena, todos do PSB.

As denúncias fazem parte da sétima fase da Operação Calvário. Os suspeitos são acusados da prática de delitos, como corrupção e lavagem de ativos, através de atividades de organizações sociais (OSs) na saúde e da adoção de inexigibilidades (fraudadas) na educação.

De acordo com a denúncia, a suposta organização criminosa atuava em três núcleos: político, administrativo e financeiro operacional. Integravam o núcleo político, Ricardo, Estela, Cida e Márcia. Já o núcleo administrativo seria composto por Waldson de Souza, Gilberto Carneiro da Gama, Coriolano Coutinho, José Edvaldo Rosas, Cláudia Luciana de Sousa Mascena Veras, Aracilba Alves da Rocha, Livânia Maria da Silva Farias (colaboradora) e Ivan Burity de Almeida (colaborador).

Ainda estão denunciados como integrantes do núcleo financeiro operacional da Orcrim: Francisco das Chagas Ferreira, Ney Robinson Suassuna, Geo Luiz de Souza Fontes, Bruno Miguel Teixeira de Avelar Pereira Caldas, Jair Éder Araújo Pessoa Júnior, Raquel Vieira Coutinho, Benny Pereira de Lima, Breno Dornelles Pahim Filho, Breno Dornelles Pahim Neto, Denise Krummenauer Pahim, Saulo Pereira Fernandes, Keydison Samuel de Sousa Santiago, Maurício Rocha Neves, Leandro Nunes Azevedo (colaborador), Maria Laura Caldas de Almeida Carneiro (colaboradora), Daniel Gomes da Silva (colaborador), David Clemente Monteiro Correia, José Arthur Viana Teixeira, Vladimir dos Santos Neiva, Valdemar Ábila, Márcio Nogueira Vignoli, Hilário Ananias Queiroz Nogueira, Jardel da Silva Aderico

Segundo a denúncia do MPPB, o grupo mantinha “um modelo de governança regado por corrupção e internalizado nos bastidores dos poderes Executivo e Legislativo do Estado da Paraíba, o qual se destacou, com maior intensidade, a partir da ascensão do denunciado Ricardo Vieira Coutinho ao governo estadual”. Ainda de acordo com o Ministério Público, a identificação desses 35 denunciados não a identificação e o envolvimento de “outros agentes políticos, administrativos e econômicos que contribuíram para a concretização dos desvios de recursos públicos, de modo que a multiplicidade de seus atores, certamente demandará aditamentos ou novas denúncias”.

A Operação Calvário

A Operação Calvário foi desencadeada no dia 14 de dezembro de 2018 para investigar núcleos de uma organização criminosa, gerida por Daniel Gomes da Silva, que se valeu da Cruz Vermelha Brasil – filial do Rio Grande do Sul (CVB/RS) e do Ipcep como instrumentos para a operacionalização de um esquema de propina no Estado da Paraíba. A organização seria responsável por desvio de recursos públicos, corrupção, lavagem de dinheiro e peculato, através de contratos firmados junto a unidades de saúde do Estado, que chegaram a R$ 1,1 bilhão.

5 comentários - MPPB denuncia Ricardo, Estela, Cida e mais 32 alvos da operação Calvário

  1. sem desassoreamento, nem drenagem os rios que cortão a capital da Paraíba estão morrendo, as praias da capital estão impróprias para o banho repletas de esgotos clandestinos, o patrimônio histórico está em ruínas, não temos aeroporto internacional, nem de cargas, o nosso porto nunca funcionou corretamente, precisa de um calado mais profundo, não temos, hidrovia, nem ferrovia e estamos fora da Transnordestina, e ainda tem gente que diz que Ricardo Coutinho foi um bom gestor, em 8 anos na prefeitura não criou uma única via exclusiva para transporte público, não restaurou um único patrimônio Histórico, a Paraíba tem o pior IDEB, (Ricardo fechou mais de 300 escolas) o pior IDH do Brasil, não temos museu de historia da arte, nem de arte moderna, não temos metrô! e ainda tem gente que chama isso de
    desenvolvimento! Ricardo Coutinho obstruiu o desenvolvimento da Paraíba por quase 20 anos!! essa é a verdade

  2. o povo paraibano quer saber quais motivos que a Daniela Ribeiro e Veneziano Vital do Rego, senadores pela Paraíba, votaram para proibir que divulguem os nomes dos auditores TCE-PB que receberam R$ 50mil para aprovarem as contas do ex-governador Ricardo Coutinho?

  3. Chaves Disse:

    Tanto imposto…. Logo vi!

  4. Esse cidadão citado pelo ínclito, louvável e destemido Ministério Público da Paraíba como o verdadeiro e indiscutível chefão da ORCRIM, nesse paupérrimo estado, desbaratado pela eficiente Operação Calvário, (GAECO), o Ricardo Coutinho, que governou por dois mandatos o estado com mão de ferro e chibata, ainda solto, fora do cárcere, é um tremendo achincalhe, um acinte, um estrondoso bofete no rosto de cada cidadão de bem da Paraíba. Tomando-se por parâmetro o Rio de Janeiro e toda sua beleza e riqueza com a Paraíba de parcos recursos, ninguém de bom senso no Brasil tem dúvida de que o Ladrão carioca Sergio Cabral, já preso e condenado a centenas de anos é fichinha perto do malogrado Ricardo Coutinho. A ex babá da Granja Santana, Janaína -a Jana – hoje exilada em Madrid, Espanha, por motivo de segurança, em dois vídeos seus na internet há poucos anos já relatara absurdos na Granja e em Fazenda no município de Bananeiras . E ninguém na época se preocupou de investigar. Falou Ela de caixas e mais caixas com dinheiro sobre guarda-roupas, relatou sobre o fumacê perene e de cenas terríveis captadas jamais esquecidas. E agora, após alguns anos passados vem a verdade à tona dos fatos; toda podridão. Quem tivera o dissabor de conhecer o perverso Golias de Jaguaribe de perto desde quando morou no Centro da Capital até que não estranhou muito esse filme de terror.

  5. Genético Fernandes Figueredo Disse:

    Concordo com tudo que você falou.Além do mais, é egoísta e prepotente. Surrupiou o nosso dinheiro público,deveria voltar ao presídio, não no nosso Estado, mas num presídio federal ele e toda quadrilha.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *