Conteúdo 6:41

Operação Calvário: Ricardo Coutinho desembarca e é preso após retornar da Europa

Ex-governador teve mandado de prisão expedido contra ele na sétima fase da operação Calvário

Foto do governador, minutos antes do embarque de Portugal para o Brasil. Foto: reprodução

O ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) já se encontra preso, na Paraíba. Ele foi detido nesta quinta-feira (19), ao desembarcar em Natal, no Rio Grande do Norte, vindo de Portugal, na Europa. O socialista era procurado desde a última segunda-feira (17), quando foi desencadeada a sétima fase da Operação Calvário, batizada de Juízo Final. O ex-gestor é acusado de ter chefiado uma organização criminosa que teria desviado recursos públicos, principalmente, da saúde e da educação.

O ex-governador chegou à Paraíba na madrugada desta sexta-feira, vindo do Rio Grande do Norte, onde desembarcou por volta das 22h40. Ele passou a madrugada na carceragem da Polícia Federal e terá o destino revelado após a audiência de custódia, prevista para ocorrer na manhã desta sexta. Ricardo é o 14º dos 17 alvos de mandados de prisão expedidos pela Justiça.

Apoiadores do ex-governador se concentraram em frente à sede da Polícia Federal. Foto: Reprodução/Walter Paparazzo/TV Cabo Branco

Ao falar com a imprensa, durante a madrugada, o advogado do governador, Eduardo Cavalcanti, disse que Ricardo Coutinho se mostrou surpreso com o mandado de prisão. Ele disse esperar que o pedido de habeas corpus protocolado no Superior Tribunal de Justiça seja julgado ainda nesta sexta.

A denúncia do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (gaeco), do Ministério Público da Paraíba, resultou em 17 mandados de prisão e 45 de busca e apreensão. Os suspeitos foram divididos em em núcleos que comporiam a suposta organização criminosa. A relação inclui os grupos político, administrativo e econômico, além dos responsáveis pela operacionalização do esquema. O ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), alvo de mandado de prisão, é apontado como o cabeça na suposta organização criminosa.

Os levantamentos apontaram que, no período de 2011 a 2019, somente em favor das OS contratadas para gerir os serviços essenciais da Saúde e da Educação, o Governo da Paraíba empenhou 2,4 bilhões de reais, tendo pago mais de 2,1 bilhões, sendo que destes, 70 milhões de reais teriam sido desviados para o pagamento de propina aos integrantes da Organização Criminosa.

Na área da saúde, as irregularidades eram executadas notadamente por meio de direcionamento de contratos de prestação de serviços, aquisição de materiais e equipamentos para as unidades hospitalares junto a empresas integrantes do esquema e indicação de profissionais para trabalharem nas unidades de saúde.

Perda da guarda

Em virtude da prisão, a Justiça concedeu à jornalista Pâmela Bório a guarda provisória do filho que ela teve com o ex-governador. Os dois vêm brigando na Justiça há vários anos pela guarda do menor.

TAGS:

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *