Conteúdo 9:29

Juízo Final: Gaeco cumpre mandados no Palácio, Granja Santana e endereços de conselheiros do TCE

Governador João Azevêdo ainda não se pronunciou sobre a ação e nem os conselheiros do TCE

Endereços do governador João Azevêdo foram alvos de mandados de busca e apreensão. Foto: Divulgação

A operação Calvário – Juízo Final cumpriu mandados de busca e apreensão, também, em endereços do governador João Azevêdo (sem partido) e de três conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) nesta terça-feira (17). As medidas foram autorizadas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A ação é coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba, com apoio do Ministério Público Federal, Polícia Federal e Controladoria-Geral da União (CGU).

João Azevêdo foi eleito com o apoio do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) nas eleições do ano passado. Coutinho, vale ressaltar, é um dos alvos dos 17 mandados de prisão expedidos pelo desembargador Ricardo Vital de Almeida. O ex-gestor não se encontra no Brasil. Ele viajou para endereço não revelado na última quinta-feira.

Veja a cobertura completa da Operação Calvário

Os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado que se tornaram alvos da operação foram Arthur Cunha Lima, André Carlo Torres e Nominando Diniz. Os três foram presidentes da corte. Os conselheiros são citados na ação que investiga o desvio de recursos públicos através do uso de organizações sociais. A lista inclui principalmente a Cruz Vermelha Brasileira e o IPCEP.

Os crimes investigados são relativos à fraude licitatória, falsificação de documentos, corrupções ativa e passiva, lavagem de dinheiro, entre outros.

O que dizem os citados

O advogado de Ricardo Coutinho não soube confirmar se o ex-governador está fora do país, porque não fala com ele há alguns dias, mas disse que “como a operação foi deflagrada agora de manhã, ainda estamos tomando ciência do conteúdo e acompanhando as medidas que estão sendo executadas agora”.

O diretório nacional do PSB confirmou às 10h desta sexta-feira que ainda não emitiu nota sobre o assunto.

O advogado da deputada Cida Ramos disse que ela está tranquila e contribuindo com as investigações, que cumpriram mandado de busca e apreensão em seu endereço, onde ela deve permanecer o resto do dia nesta terça-feira.

A assessoria da prefeitura do Conde disse às 10h20 que ainda não tinha posicionamento sobre o envolvimento da prefeita Márcia Lucena nas investigações.

O Tribunal de Contas do Estado disse, através da assessoria de imprensa, que ainda não tem um posicionamento sobre a investigação. Após sessão da câmara do órgão, os conselheiros vão se reunir e uma nota pode ser divulgada ainda nesta terça. A outra possibilidade é a de que a corte se manifeste oficialmente na sessão do Pleno, na quarta.

Em nota, o advogado Francisco Ferreira disse que está “tranquilo quanto aos indícios” imputados a ele, pois jamais cometeu “qualquer conduta ilícita na minha história de vida”. “Meu patrimônio é totalmente compatível com minhas rendas, o que comprovarei com tranquilidade e que já está em todas as minhas declarações de Imposto de Renda”, disse.

Impacto social

As irregularidades praticadas pela organização criminosa impactaram fortemente a qualidade do atendimento prestado à população carente nos hospitais públicos estaduais gerenciados pelas Organizações Sociais, bem como a qualidade do ensino público estadual prestado à população da Paraíba.

 

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    Tiago Vilar

    Mas, segundo o jornalista, o problema do país é Bolsonaro… Rsrsrs

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *