Executivo 7:28

Com novas posses, Câmara de Cabedelo tem 15 vereadores e pagará salários a 29

Dez vereadores foram afastados na primeira fase da Xeque-Mate e, dos suplentes empossados, quatro foram afastados semana passada

Mesa Diretora empossou os quatro novos vereadores em Cabedelo. Foto: Reprodução/Facebook

Imagine uma Câmara Municipal com 15 vereadores eleitos, mas que pagará salários a 29? Esta cidade é Cabedelo, na Região Metropolitana de João Pessoa. Essa distorção foi criada após as várias fases da operação Xeque-Mate, desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba, e pela Polícia Federal. O salário pago é de R$ 8 mil.

Nesta terça-feira (10), foram empossados mais quatro suplentes. Foram contemplados José Erivaldo Martins da Silva (PRP), Ivânio do Nascimento (PRP), Luiz Bezerra Filho (PRP) e Lídio José da Silva (PSDB). Eles substituem Benone Bernardo (PRP), Josimar de Lima Silva (PRP), Janderson Brito (PSDB) e Jonas Pequeno. Estes últimos estão entre os suplentes empossados após o afastamento de 10 titulares, em abril do ano passado.

Veja quem são os novos empossados:

Os quatro vereadores suplentes foram afastados cautelarmente pelo prazo de 120 dias. A decisão foi proferida pelo juiz responsável pela Xeque-Mate no primeiro grau, Henrique Jorge Jácome. Eles são acusados de terem recebido “ajuda de custo” durante a campanha eleitoral de 2016, com a condição de que seriam leais ao ex-prefeito Leto Viana (PRP), caso fossem eleitos.

A denúncia indica que os suplentes afastados teriam recebido das mãos do então prefeito vantagem indevida, consubstanciada na distribuição igualitária da quantia de R$ 200 mil, para a composição de seu grupo de sustentação política no parlamento (legislatura de 2017 a 2020).

De acordo com as investigações, os réus na ação teriam assumindo, com o recebimento do dinheiro, o “compromisso de satisfazer os interesses pessoais de Leto Viana, de seus aliados (membros da organização investigada), assim como os desejos anticoncorrenciais do empresário ROBERTO SANTIAGO”, diz trecho da investigação.

As acusações são de corrupção passiva. O Ministério Público Estadual requereu, ainda, a reparação pelos danos materiais e morais praticados, entre outras medidas pertinentes. No dia 4 deste mês foram cumpridos mandados de busca e apreensão nos endereços relacionados aos quatro vereadores afastados do cargo.

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *