Chega a oito o número de deputados com celulares clonados neste ano na Paraíba

Ricardo Barbosa e Cabo Gilberto foram as últimas vítimas dos hackers entre os deputados estaduais

Ricardo Barbosa tem alertado amigos para o risco de serem vítimas de falsários. Foto: Divulgação/ALPB

Os ataques aos celulares de deputados estaduais tiveram novas vítimas  nesta segunda-feira (2). Os casos serão investigados pela Secretaria de Segurança e Defesa Social (SSDS). Os novos alvos foram Ricardo Barbosa (PSB) e Cabo Gilberto (PSL). Ambos tiveram o número de celular copiado e ficaram incomunicáveis. O ato contínuo disso foi o envio, pelos falsários, de mensagens para a lista de contato deles pedindo dinheiro, alegando ser os respectivos parlamentares.

Até o momento, foram oito parlamentares vítimas dos ataques. A lista inclui, além de Ricardo e Gilberto, os deputados Trocolli Júnior (Pode), Wallber Virgolino (Patri), Branco Mendes (Pode), Lindolfo Pires (Pode), Jane Panta (PP) e Moacir Rodrigues (PSL). Este último foi alvo em agosto deste ano. Todos os outros tiveram os celulares clonados entre a semana passada e esta semana.

O deputado Ricardo Barbosa acredita que pelo menos 300 pessoas da lista de relacionamentos dele receberam mensagens. “Eu observei que por volta das 15h (desta segunda) meu celular deixou de funcionar. Liguei, desliguei, liguei de novo e ele não funcionava. Depois soube pelo meu filho que várias pessoas estavam ligando para comunicar que receberam mensagens partidas do meu número pedindo dinheiro”, ressaltou o parlamentar.

Entre as pessoas que receberam mensagem está o jornalista Laerte Cerqueira, da TV Cabo Branco. A pessoa perguntava se ele tinha conta em um banco específico. Como percebeu que era golpe, Cerqueira encerrou o assunto logo em seguida.

De acordo com o presidente da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup), George Coelho (PSB), pelo menos 20 prefeitos paraibanos foram alvos dos criminosos de 2017 para cá. O número vem crescendo desde então. O gestor pede que os prefeitos fiquem muito atentos aos documentos recebidos como links de programas federais. Vários deles, assegura o prefeito, são vírus.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *