Saída de Bosco Carneiro acende luz de alerta na base governista de João Azevêdo

Deputado entregou cargos indicados no governo e diz que adotará postura de independência

João Bosco Carneiro é o responsável pela lei sancionada pelo governador: Foto: Roberto Guedes/ALPB

O deputado estadual Bosco Carneiro (PPS) enviou correspondência ao governador João Azevêdo (PSB). Em breve comunicado, diz que está entregando todos os cargos indicados por ele para a administração estadual. O parlamentar disse, após tornar pública a saída da base, que vai assumir postura de independência na Casa. Ao ser questionado, diz que vai votar com o governo sempre que entender que a matéria atende aos interesses do eleitor dele.

A pessoas próximas, Carneiro demonstra desconforto com as indicações de cargos no governo. Desde o início da atual legislatura que os deputados tentam emplacar aliados na gestão e não conseguem. Eles alegam que os espaços foram dominados, principalmente, pelas deputadas Cida Ramos e Estela Bezerra. Elas negam. “Foi uma decisão pessoal. Não creio que outros parlamentares pensam em fazer o mesmo”, disse o presidente da Assembleia, Adriano Galdino (PSB).

Reprodução

O governador João Azevêdo decidiu fazer reunião de emergência com a base aliada. Mandou chamar pelo menos dez deputados para encontro na Granja Santana, nesta quinta-feira (6). De acordo com informações de bastidores, ele vai ouvir um parlamentar de cada vez. Há quem diga que serão ouvidas as demandas dos deputados. Cada um deles deverá falar sobre as questões pessoais. Ao todo, 24 deputados compõem a base governista.

Com a saída de Bosco Carneiro, esse número sofre uma baixa. O parlamentar integra o bloco conhecido por G11, que congrega parlamentares governistas que, por vezes, votam contra os projetos do governo estadual. A preocupação do governo é que a decisão do deputado contamine outros aliados.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *