Executivo 21:39

“João recebe gato, cachorro e papagaio e nunca quis me receber”, diz Gervásio Maia

Deputado diz que governador foi ao gabinete dele, em Brasília, sabendo que não encontraria ninguém

Gervásio Maia critica postura de João Azevêdo. Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Dizer que o clima no PSB paraibano é de desarmonia é redundância. Mesmo assim, surpreende no dia a dia conhecer o nível da contenda. Um dia depois do alarde de que o deputado federal Gervásio Maia (PSB) não quis receber o governador João Azevêdo (do mesmo partido) no seu gabinete, em Brasília, o socialista quebrou o silêncio. As primeiras notícias eram de que o parlamentar teria deixado o gabinete no maior estilo “Leão da Montanha”, com saída pela esquerda antes da chegada de João. A versão de Maia, no entanto, vai no sentido contrário.

Gervásio Maia acusa João Azevêdo de ter forçado um desgaste desnecessário sobre a imagem dele. O socialista assegura que o governador sabia que ele não estaria no gabinete. A assessoria do parlamentar conta que recebeu uma ligação do escritório de representação do governo às 10h42. Neste horário, Maia já estava no aeroporto, pronto para embarcar para João Pessoa. Eles foram avisados sobre a viagem, garantem os assessores. Apesar disso, meia hora depois João Azevêdo chegou ao gabinete. “Não tenho dúvida que o objetivo foi criar um desgaste desnecessário para a minha imagem”, assegura.

O socialista não baixa a guarda ao falar sobre a relação com o governador. Ele acusa Azevêdo de dar mais atenção aos deputados da base de apoio do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que aos que o ajudaram a ser eleito. “Estou desde o início do ano, após a posse, tentando ser recebido pelo governador. Não consigo. Sabe quando foi a última vez que conversamos? Há três meses. Pergunta quando foi a última vez que ele conversou com o (ex)governador Ricardo Coutinho?”, questionou o parlamentar, que, questionado pelo blog, não soube dizer quando. “Não, estou pedindo para você perguntar a João Azevêdo”, explicou-se.

Maia diz não saber o porquê do tratamento dispensado pelo governador para os militantes do partido. Questionado, disse não acreditar que tenha a ver com a operação Calvário, desencadeada pelo Ministério Público da Paraíba e que tem agentes públicos do Estado como alvos. O socialista garante que não consegue enxergar o motivo do esfriamento da relação de João Azevêdo com o ex-governador Ricardo Coutinho. “É tão estranho que eu não sei responder”, garante.

O deputado diz ainda que passou a semana recebendo ligações de prefeitos que narraram estar sendo abordados pelo governo. As perguntas, ele garante, são no sentido de “com quem eles ficarão em caso de rompimento”. “É difícil compreender. Tem prefeito do PSB que muda de partido e, em seguida, aparece o governador para banquetear com ele”, diz Maia, expressando estranheza com o fato. Estes atos, assegura o parlamentar, estão conectados com o ultimato do governador, que poderá deixar o partido em dezembro.

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    Juca Fragoso

    Uma lástima que o nobre deputado federal Gervásio Maia desqualifique em público, via imprensa, o digno governador paraibano João Azevedo e isso emitido de uma grotesca adjetivação, desrespeitosa e no âmago, por pura pirraça política sem nenhum itinerário plausível. Teria sim outros bons termos no português para protestar sem ferir o brio e o brilho da honra do Chefe do Executivo numa inteligível declaração. Jamais se ouvira da boca do governador frases ásperas e ou inoportunas contra quaisquer parlamentares da direita, centro ou de esquerda. O cidadão e Engenheiro João Azevedo é uma pessoa simples quem o conhece de perto, e, sobretudo, sem vaidades, cauteloso dado a sua própria performance de condução nos destinos do estado ou da coisa pública. A Paraíba é uma estado carente e necessita de uma boa convivência salutar e sóbria de juízo em pleno século XXI.

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *