Ex-vereador cria torneio para escolher coveiro “mais eficiente” do Litoral Sul

Vencerá o torneio o coveiro que cavar, de forma mais rápida, uma cova dentro das especificações técnicas

Você certamente já ouviu falar de torneios de corrida, levantamento de peso e até de arremesso de martelo. Mas de coveiro, você já tomou conhecimento? Quem tiver o ‘não’ como resposta, precisa prestar atenção no evento que vai acontecer no Conde, Região Metropolitana de João Pessoa. A cidade vai sediar o “1° Torneiro Pá na Cova do Litoral Sul”. Vencerá a disputa quem conseguir cavar uma cova obedecendo as especificações técnicas no menor tempo. Serão premiados primeiro, segundo e terceiro lugar.

Foto: Reprodução

A ideia pouco comum é do ex-vereador do Conde, Fábio Tatu. Quem lembra dele? Sim, é aquele que ia para as sessões em carroça de burro. Tatu explicou à reportagem da CBN João Pessoa que a ideia, com o torneiro, é jogar os holofotes sobre uma categoria esquecida e ignorada por todos. “As pessoas não gostam nem de apertar a mão de um coveiro”, disse. Mas quem pensa que a competição é uma grande brincadeira, está por fora. Há regras muito rígidas que devem ser seguidas pelos competidores.

É obrigatório que ao menos um integrante da equipe tenha experiência profissional comprovada. No momento da inscrição, o competidor/coveiro/sepultador deverá apresentar documento oficial (carteira de trabalho, contracheque etc) que ateste a profissão. A cova deverá ter no mínimo as seguintes medidas: 2,20 metros de comprimento, 0,70 cm de largura e 1 metro de profundidade. Vence quem cavar o buraco em menor tempo, obedecendo as regras. Todos os competidores terão que cavar o buraco até o fim.

A obervação, no regramento da competição, é que quem terminar primeiro terá que comprovar que obedeceu às medidas. “O tempo total da prova será determinado pelo sinal sonoro (apito) do diretor da prova, cabendo ao participante remanescente dar continuidade mesmo que outros já tenham finalizado, pois a classificação só será divulgada após a conferência, de acordo com o item J e K”, diz o regulamento. “Serão consideradas ganhadoras as equipes que cavarem as covas em menor tempo, metragem exata e estética das paredes em bom estado”, diz.

Tem regras também para impedir que entrem “bebuns” e “noiados” na competição. “O participante que estiver sob efeito de álcool ou qualquer droga alucinógena será automaticamente desclassificado”, diz, de forma solene, o regulamento. E por mais engraçado que possa parecer, é proibido a todos os competidores jogarem terra na cova dos adversários. As inscrições vão acontecer entre 1° e 20 de novembro e a disputa será no dia 30 do mesmo mês. Sim, a propósito. As pás, trenas e enxadecos deverão ser levadas pelo competidor.

O vencedor receberá troféu, medalha e R$ 600. O segundo colocado receberá R$ 400 e o terceiro colocado, R$ 200. Do quarto lugar em diante, apenas um aperto de mão.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *