Legislativo 17:24

Conselho de Psicologia repudia vereadora que ofereceu arma para “amigo” se suicidar

Eliza Virgínia disse ter “curado” depressão de “amigo” com sugestão para que ele se matasse

Eliza Virgínia fez piada de mal gosto ao falar de amigo com depressão. Foto: Olenildo Nascimento

A vereadora de João Pessoa, Eliza Virgínia (PP), foi alvo de uma nota de repúdio emitida pelo Conselho Regional de Psicologia (CRP-13). O motivo: a galhofa contada durante entrevista à rádio Arapuan, onde ensinou a curar depressão com o oferecimento de uma arma para que a pessoa cometesse suicídio. O comportamento da parlamentar, eu nem precisaria dizer isso, é incompatível com o exercício parlamentar. É inegável que ela quis fazer “graça”, jogar para a galera, ao falar de um problema crônico, que acomete lamentavelmente cada vez mais pessoas.

Todos os que conhecem alguém que sofreu de depressão, sabem que ela não é curada com galhofa ou grosseria. O problema é de saúde pública. Na nota, o CRP-13  lembra que as declarações foram feitas no dia 10 de outubro, quando se comemora o Dia Mundial da Saúde Mental. Na entrevista, a parlamentar tratou com desdém os casos de pessoas que precisam de ajuda profissional. “Um amigo meu uma vez ligou pra mim dizendo que queria se matar. Eu disse se mate, vá, quer que eu lhe dê uma arma?”, questionou Eliza na entrevista.

Ela disse ainda na época que deu uma bronca tão grande no amigo que ele se livrou da depressão rapidinho. O tom foi modificado nesta segunda-feira (14), após a nota do Conselho de Psicologia. “Como eu disse na entrevista, eu não sou psicóloga, eu tento ajudar as pessoas que me procuram pela experiência que eu tenho, mostrando a realidade da vida. A vida é sofrida para todo mundo. Todo mundo passa por provações, todo mundo passa por dificuldades. Então é assim, infelizmente, o Conselho de Psicologia me deu uma nota de repúdio com base em uma manchete jornal”.

“REPUDIAMOS as referidas declarações da representante do povo, Vereadora Eliza Virgínia, as quais desrespeitam o sofrimento humano e podem ter implicações graves nos já elevados índices de tentativas de suicídio na nossa sociedade”, diz a nota do Conselho de Psicologia.

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    Marcio ramos

    esta parlamentar e uma vergonha. estive na câmara certa vez e ela sempre com este ar de galhofa sem decoro ou respeito com os pessoenses. mais pessoas que ganham um absurdo vive das benesses do cargo geralmente ficam assim alheios a realidade uma falsa cristã que usa a religião para angariar votos mada mais. ae quiserem comprovar assistam a TV câmara e vão se deparar com o show de horrores.em tempo sou apartidário apenas acompanhou dia a dia da cidade

  2. Avatar for Suetoni
    Marcio ramos

    poderia chama lá de nobre maia pelo ato esse adjetivo não lhe cai bem. a senhora poderia se redimir e fazer seu papel de fiscalizar o executivo,vá no trauminha de ônibus e passe pelo menos uma hora aproveite faça uma visita ao PSF e vá numa escola ou creche municipal terá trabalho pra um mandato garanto

  3. Avatar for Suetoni
    Marcelo

    “Art. 122 do Código Penal – Decreto Lei 2848/40
    Induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou prestar-lhe auxílio para que o faça:
    Pena – reclusão, de dois a seis anos, se o suicídio se consuma; ou reclusão, de um a três anos, se da tentativa de suicídio resulta lesão corporal de natureza grave.
    Parágrafo único – A pena é duplicada:
    Aumento de pena
    I – se o crime é praticado por motivo egoístico;
    II – se a vítima é menor ou tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência.”

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *