Eitel Santiago aceita convite de Aras para assumir cargo na Procuradoria-Geral da República

Ex-subprocurador-geral da República espera apenas a confirmação do nome de Augusto Aras pelo Senado

Eitel Santiago disputou vaga na Câmara em 2018. Foto: Reprodução/Facebook

O ex-subprocurador-geral da República, Eitel Santiago, aceitou convite para voltar ao Ministério Público. Aposentado há dois anos, o paraibano foi sondado por Augusto Aras para assumir a Secretaria-Geral da Procuradoria-Geral da República. Aras foi o indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) para assumir a PGR. O passaporte de Santiago para o cargo está condicionado, apenas, à aprovação de Aras na sabatina que será promovida pelo Senado.

“Aceitei o convite para ser o Secretário-Geral do MInistério Público da União. Porém, tudo ainda depende da aprovação, pelo Senado, do nome de Augusto Aras, indicado pelo Presidente Bolsonaro, para ser o Procurador-Geral da República. Se isso ocorrer, vou trabalhar com dedicação, para contribuir com a gestão do futuro PGR, Augusto Aras, que conheço há muitos anos. Augusto Aras é um homem culto, experiente e responsável. Atuará, tenho certeza, respeitando os preceitos constitucionais e preocupado em contribuir com o desenvolvimento nacional. É o que posso adiantar, por enquanto”, disse Eitel, em contato com o blog.

O ex-subprocurador também tem uma tese para os confrontos de militantes da direta e da esquerda contra Aras. Para um lado, ele é petista. Para o outro, é um conservador que atuará para proteger a família de Bolsonaro. “Sinal evidente de que o compromisso principal de Augusto Aras é com o cumprimento de seus deveres constitucionais”, ressaltou.

O indicado para a PGR por Bolsonaro é descrito, constantemente, como um membro do Ministério Público que teve capacidade para moldar o discurso ao perfil procurado pelo presidente. Bolsonaro procurava um membro do órgão que fosse alinhado à ideologia dele e que não fosse, por exemplo, um “xiita ambiental”.  Aras não integrou a lista tríplice elaborada pela categoria e, por isso, é criticado pelos colegas.

Sobre o futuro, Eitel falou sobre o que pretende à frente da Secretaria-geral. “Vou me inteirar dos trabalhos que estão sendo feitos no âmbito da SG e irei auxiliar na elaboração do plano de trabalho concebido pelo futuro PGR, que, no momento oportuno, falará sobre o tema com a imprensa”, disse.

Eitel foi candidato a deputado federal na eleição passada, pelo PP, mas conquistou apenas 9.546.

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *