Executivo 7:42

Se depender da Assembleia, Paraíba não terá reforma da Previdência

Apesar do déficit crescente nas contas públicas, governo tem maiores adversários entre os aliados

Deputados estaduais terão que enfrentar discussão caso reforma não seja incluída no Congresso. Foto: Alexandre Kito

O governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), terá um desafio e tanto pela frente. Terá, simplesmente, que convencer os deputados estaduais paraibanos a votarem em uma reforma da Previdência, caso o tema não seja resolvido no Congresso. Procurados pelo blog, vários aliados do gestor viram a situação como difícil. E eles enumeram os motivos. As questões vão desde o fato de o PSB, partido do gestor, ter fechado questão nacionalmente contra a reforma até a posição pessoal de vários deputados paraibanos.

O PSB, inclusive, faz os discursos mais duros em relação ao tema. Os parlamentares que votaram a favor da matéria, vale pontuar, correm risco de serem expulsos. O mentor político de Azevêdo, Ricardo Coutinho (PSB), também está entre os maiores opositores da matéria. E como se isso tudo ainda fosse pouco, entre os socialistas paraibanos, grande parte se coloca contra antecipadamente. A lista inclui Cida Ramos, Estela Bezerra e Jeová Campos.

“Não creio que sairá do papel no atual governo. Nacionalmente, o PSL se colocou como opositor ao projeto do próprio Executivo. A matéria só foi aprovada por que eles mudaram de posição. O projeto é polêmico e impopular e ninguém vai comprar uma briga do governo sabendo que os correligionários do governador são contra”, ressaltou um parlamentar governista sob a condição de anonimato.

A reforma da Previdência foi votada em primeiro turno na Câmara dos Deputados. Nela, os estados e municípios foram excluídos da discussão. Há a esperança de governadores e prefeitos de que a matéria volte a ser incluída no Senado, através de um destaque em separado. Com isso, ele poderá retornar à Câmara para ser votado sem risco de que todo o projeto precise retornar. A aposta é a de que, neste caso, a proposta retorne em clima mais ameno. Caso contrário, a obrigatoriedade de resolver a questão ficará para o próximo governador.

O problema mesmo é o déficit da Previdência, que tem assustado o governador. Ele deve chegar a dezembro na casa dos R$ 2,8 bilhões. A previsão para 2020 é de R$ 4,5 bilhões.

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    Tiago vilar

    Como dizia o ex-governador, Ricardo, não existe déficit na previdência… É tudo falácia…

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *