Deputada defende lições de Celso Furtado como modelo para desenvolvimento do Semiárido

Defesa de Pollyanna Dutra foi feita durante evento em homenagem ao economista Celso Furtado

Pollyanna Dutra diz que não é possível falar em desenvolvimento sem projetos sociais. Foto: Divulgação

Celso Furtado foi o maior economista brasileiro. Essa é uma máxima difícil de ser refutada. O idealizador e primeiro presidente da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) pensou muito sobre a economia nordestina. Natural de Pombal, no Sertão, ele tem servido de inspiração para a deputada estadual Pollyanna Dutra. Durante homenagem ao paraibano, na última sexta-feira (26), ela defendeu importância de se pensar e planejar o desenvolvimento do Semiárido da Paraíba, à luz do pensamento do economista. O evento foi organizado pelo Conselho Regional de Economia da Paraíba (Corecon-PB).

Para Pollyanna Dutra, Celso Furtado é uma sumidade que deve ser referenciada pelo estado ao se pensar em desenvolvimento econômico. “Falar de Celso Furtado é um desafio, mas algo extremamente necessário, pois ele foi um grande nome para Pombal, para a Paraíba, o Brasil e o mundo. Para Celso Furtado, só haverá desenvolvimento ali onde houver um projeto social subjacente. Esse é um pensamento atual e que deve ser referenciado quando pensarmos no futuro do nosso estado. Só existe desenvolvimento com a participação de todos”, destacou a parlamentar, que foi prefeita de Pombal.

A deputada, que é presidente da Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento do Semiárido, destacou, ainda, a importância de se levar o desenvolvimento para o interior do estado da Paraíba. “Celso conheceu a crueza do inóspito Sertão paraibano, vivendo na pele suas dificuldades, como a seca. Isso aguçou sua sensibilidade no desenvolvimento de pensamentos voltados ao Sertão. Esses pensamentos precisam ser considerados no desenvolvimento de políticas públicas eficazes para essa região”, comentou.

Sofia Furtado, socióloga e neta de Celso Furtado, também destacou a importância das ideias do economista para o presente e para o futuro do Brasil. “Compreender Celso Furtado é compreender que conhecimento é algo que se constrói e, acima de tudo, que se renova, mas, para isso, é preciso sempre lembrar da sua base. Sem dúvidas meu avô contribuiu com um importante pilar do conhecimento, que deve ser considerado ao se pensar em desenvolvimento econômico”, pontuou.

Além da deputada Pollyanna Dutra e da neta de Celso Furtado, participaram do evento toda a diretoria do Corecon-PB, dentre eles o seu presidente, Celso Mangueira, o vice-presidente do Cofecon, Antônio Lacerda, o ex-reitor da UFPB Rômulo Polari, além de economistas da Paraíba e de outros estados do Nordeste.

Centenário

O evento desta sexta-feira também marcou o início das comemorações do Centenário de Celso Furtado, que ocorrerá no próximo ano. Nascido em Pombal, se estivesse vivo, Celso Furtado completaria 100 anos em 26 de julho de 2020. A data de hoje marca seu 99º aniversário.

Celso Monteiro Furtado foi um economista brasileiro e um dos mais destacados intelectuais do país ao longo do século XX. Suas ideias sobre o desenvolvimento econômico e o subdesenvolvimento enfatizavam o papel do Estado na economia, com a adoção de um modelo de desenvolvimento econômico de corte pré-keynesiano.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *