Uma semana após polêmica com Bolsonaro, João usa versos de Lenine para pregar “paciência”

Governador também se reuniu com prefeitos que levaram à Granja Santana uma série de reivindicações

Reprodução/Instagram

Uma semana depois de ter sido atacado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), o governador João Azevêdo (PSB) usou as redes sociais para “pedir um pouco mais de paciência”. A mensagem foi embalada com os versos da música “Paciência”, cantada por Lenine. O artista pernambucano se apresentou nesta quinta-feira (25) na abertura do Festival de Artes Jackson do Pandeiro, no Espaço Cultural José Lins do Rêgo, em João Pessoa. Na sexta-feira da semana passada (19), Bolsonaro disse em conversa reservada com o ministro da Casa Civil, Onix Lonrenzoni, que entre “aqueles governos de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão (Flávio Dino, do PCdoB). No dia seguinte, para remendar, disse ter criticado Azevêdo e Dino.

Durante o show, no Espaço Cultural, houve manifestações políticas. Em coro, em duas oportunidades, o público gritou palavras de ordem e xingou o presidente. O cantor, Lenine, apenas acenou para a platéia, manifestando concordância, mas sem se pronunciar. O governador João Azevêdo, nesta semana, tentou em algumas oportunidades pegar carona na onda anti-Bolsonaro. Depois das manifestações de preconceito e racismo do gestor contra o Nordeste, ele pediu em eventos para ser chamado de “João Paraíba”. O posicionamento do gestor seguiu na linha dos outros governadores da região, que divulgaram nota de repúdio contra o presidente.

Paciência também pode ser aplicada aos prefeitos do PSB. João Azevêdo recebeu nesta quinta 17 prefeitos e 13 líderes políticos na Granja Santana. Na mala, eles apresentaram pedidos de obras. Todos foram levados pelo presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino (PSB). Os gestores municipais colocaram na mesa reivindicações e sugestões para o desenvolvimento de ações que possam melhorar a qualidade de vida da população de seus respectivos municípios. “João recebeu todos os prefeitos, que apresentaram suas reivindicações. Dialogou com todos e disse que poderia ser feito e o que irá analisar. Foi uma conversa muito franca e honesta”, declarou o presidente da Assembleia.

comentários - Uma semana após polêmica com Bolsonaro, João usa versos de Lenine para pregar “paciência”

  1. Quando aqui cheguei à terra de Filadélfia só se falava nos versos imponentes e prolixo quanto à sua interpretação do saudoso poeta popular CAIXA DÁGUA, nos idos 70 intitulado : ” BRUMAS DE MÃE”. Não sabiam os leitores que nos versos se debruçavam qual seria mais fácil na sua cognitiva interpretação: …se BRUMAS DE MÃE ou um dos vários versos prolixos contido no Livro do poeta Augusto dos Anjos: “O EU” . Esse poema postado por João e de autoria do filósofo Lenine segue mais ou menos a rota do juízo intransponível ou imponderável.Talvez os nobilíssimos senhores acadêmicos da terra possam com mais clareza postá-lo de forma esmiuçada, tim-tim por tim-tim aos paraibanos que na sua maioria não são afeito, didaticamente, à leitura desse gênero no cotidiano. A crise é tão imensa que ninguém quase tem tempo de ler absolutamente nada a não ser contar cifrões.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *