Executivo 8:04

Após suicídio de blogueira, secretário de saúde alerta sobre crescimento de mortes em João Pessoa

Adalberto Fulgêncio diz que retirada da própria vida é atualmente o terceiro item no ranking de mortes por causas externas

Adalberto Fulgêncio diz que o tema precisa ser discutido por toda a sociedade. Foto: Divulgação/Secom-PB

A morte da blogueira carioca Alinne Araújo, nesta semana, provocou uma grande discussão nas redes sociais sobre suicídio. A jovem de 24 anos teria tirado a própria vida na última segunda-feira (16), dois dias depois de ver frustrado o sonho do casamento. O noivo, Orlando Macedo, acabou o relacionamento via mensagem nas redes sociais. A cerimônia seria no domingo e ela compareceu sozinha ao casamento. Criticada por internautas, ela teria se matado no dia seguinte. Reflexos de uma sociedade que, invariavelmente, precisa de tratamento. O tema, inclusive, foi abordado nas redes sociais pelo secretário de Saúde de João Pessoa, Adalberto Fulgêncio, nesta quinta-feira (18). Ele alertou para o crescimento vertiginoso dos casos na capital paraibana nos últimos anos.

O alerta feito pelo secretário merece atenção. A Vigilância Epidemiológica (Viep) de João Pessoa registrou 166 casos de óbitos por lesões autoprovocadas de pessoas residentes na capital no período de 2013 até 2018. Desses, 82% (136) são pessoas do sexo masculino e 18% (30) são do sexo feminino. Já é o terceiro maior motivo de mortes por causas externas, perdendo apenas para homicídios e acidentes de trânsito. E o pior, reforça Fulgêncio, é que os números vêm aumentando. O índice de suicídios na capital cresceu de 3,5 óbitos por 100 mil habitantes, no ano de 2013, para 5,1 óbitos por 100 mil habitantes, em 2018. “É um tema tabu, mas que precisa ser enfrentado pela sociedade. As principais vítimas são os nossos jovens”, reforçou.

Os registros apontam que a faixa etária em que óbitos deste tipo são mais frequentes é de 30 até 39 anos. Do total de 136 pessoas do sexo masculino que se suicidaram neste período, 41,6% estavam nesta faixa de idade, enquanto 34,7% tinham 50 anos ou mais e 22,2% tinham entre 10 e 29 anos. Entre o sexo feminino, a proporção é parecida, ou seja, 50% estavam na faixa de 30 a 49 anos de idade, 29,4% tinha 50 anos ou mais e 20,5% tinha entre 10 e 29 anos.

Os casos são tratados em João Pessoa através do serviço de apoio oferecido pela Prefeitura e pelo Centro de Valorização da Vida (CVV). No Centro, a população pode encontrar apoio emocional através das conversas com os atendentes voluntários. “Ter com quem conversar é fundamental. A partir do momento em que uma pessoa que está angustiada e conversa com alguém, a tendência é que essa pessoa melhore”, explicou Aparecida Melo, porta-voz do CVV na capital.

Além da parceria com o CVV, a PMJP oferece diversos serviços para as pessoas que buscam acompanhamento psicológico e psiquiátrico. Este trabalho é realizado nas policlínicas do município, localizadas nos bairros de Tambaú, Mandacaru, Jaguaribe, Cristo e Mangabeira.

Os atendimentos acontecem por meio do telefone 188 (24 horas), via site e e-mail (pelo site www.cvv.org.br), ou pessoalmente. Em João Pessoa, o CVV fica localizado na Avenida Rui Barbosa, s/n, Torre, anexo ao Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) da PMJP. O horário de atendimento é das 14h às 22h, diariamente.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Pessoal, vocês devem ter visto o caso da blogueira, Alinne Araújo, de 24 anos, que se suicidou essa semana, após o noivo ter desistido de casar. Esse fato me fez pensar no quanto casos como esse têm sido recorrentes também em João Pessoa. As estatísticas que temos na Secretaria de Saúde mostram um crescimento de pessoas com depressão, com doenças ligadas a questões existenciais e, em muitos casos, que chegam ao suicídio. Acredito que o corpo, a mente e o espírito devem estar saudáveis e em harmonia. O mundo virtual pode esconder o sofrimento que muita gente vive, principalmente os jovens. Além desse desabafo, de alguém que fica chocado com esse caso da blogueira, me sinto na obrigação de tratarmos essa questão, que é saúde pública, com atenção redobrada. Temos que encarar essa realidade e ajudar quem precisa. Foto: Ivomar Gomes Pereira

Uma publicação partilhada por Adalberto Fulgêncio (@adalbertofulgencio) a 18 de Jul, 2019 às 3:48 PDT

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    Jordão Barrios

    Grande e inutilidade pública essa palhaçada de matéria …

    • Avatar for Suetoni
      Suetoni

      A matéria reflete o meio. Ela é uma resposta opinativa ao momento político. Se você concorda com a profusão de palavras e gestos preconceituosos expostos pelo alcaide do momento, pode ter certeza de que sua posição será respeitada. No sentido contrário, exponho a minha opinião e peço respeito a esse ponto de vista embasado na leitura histórica do momento. Não pretendo converter ninguém.

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *