Projeto enviado por Bolsonaro ao Congresso pode anistiar punições por multas de trânsito da família

Em cinco anos, o presidente, a mulher e três filhos colecionaram 44 multas de trânsito. Algumas delas gravíssimas

Presidente Bolsonaro, ao lado de Flávio, Eduardo e Carlos, todos alvos de multas de trânsito. Foto: Divulgação

O projeto encaminhado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) ao Congresso para flexibilizar as leis de trânsito deve beneficiar, em muito, a família dele. Um levantamento feito pela Folha de São Paulo sobre dados do Detran do Rio do Janeiro mostrou que o núcleo familiar do presidente recebeu 44 multas nos últimos cinco anos. A campeã disparada é a primeira-dama Michelle Bolsonaro. Ela somou 41 pontos no período, fruto de oito multas aplicadas contra ela. Em 2017, Michelle somou mais de 20 pontos em cinco multas. Três delas gravíssimas: dirigir ao telefone, avançar sinal vermelho e carro sem licenciamento. A legislação atual diz que o motorista pode perder a carteira ao superar a marca de 20 pontos.

A proposta do presidente prevê a elevação de 20 para 40 pontos o limite máximo para que se corra o risco de perder a carteira. É um incentivo e tanto à barbeiragem no trânsito e um risco para a vida das pessoas.

Ranking da família Bolsonaro:

Michelle Bolsonaro …………………………………… 41 pontos em cinco anos 8 multas
Flávio Bolsonaro ………………………………………. 39 pontos em cinco anos 15 multas
Carlos Bolsonaro………………………………………. 24 pontos em cinco anos 6 multas
Jair Bolsonaro …………………………………………. 18 pontos em cinco anos 6 multas
Carlos Bolsonaro ……………………………………… 7 pontos em cinco anos 9 multas

O levantamento mostra que 24 das 44 multas foram aplicadas por velocidade acima do permitido. As regras propostas ainda livram motoristas profissionais de fazer exames toxicológicos. Um outro ponto bastante polêmico é a suspensão da exigência para que pais de crianças pequenas façam elas trafegarem na cadeirinha. Um ponto que deve ter repercussão popular positiva é o aumento de 5 para 10 anos na validade das carteiras nacionais de habilitação. As propostas ainda vão tramitar nas comissões na Câmara e no Senado e devem gerar muita polêmica.

3 comentários - Projeto enviado por Bolsonaro ao Congresso pode anistiar punições por multas de trânsito da família

  1. Rafael Olanda Disse:

    Essa ânsia em criticar o governo do presidente Bolsonaro matou e está sepultando o jornalismo praticado por vocês

    • Suetoni Disse:

      Caro leitor, grato pelas suas observações, mas tenho que dizer que nas democracias as coisas funcionam assim. A imprensa observa, analisa, apresenta dados. Só nas ditaduras há busca por simpatia e concordância com o alcaide de plantão. Independente de quem ocupe a cadeira, ele tem que estar pronto para críticas.

  2. Concordo com o grande jornalista Dr Suetoni. O Dr Suetoni como bem disse apenas reproduz fielmente as notícias. Agora, convenhamos, com a máxima vênia, discordo nalguns aspectos da criminosa e sarcástica Indústria da Multa criada por bandidos infiltrados na máquina pública, inescrupulosos que engendraram esse tipo disfarçado de assalto no Brasil. Aqui, por exemplo, em João Pessoa, a velocidade, em algumas vias de fluxo grande de carros, as lombadas estão tão rígida e obrigam o condutor a passar num ritmo de Cadeirante. Ora, multar o condutor apenas por passar com 49 km quando a ladra lombada impõe sem nenhuma metodologia científica aos cidadãos condutores, comprovadamente, uma pífia velocidade de 40 p hora, cá pra nós, entendo ser esse tipo de expediente claramente e objetivamente para fazer Caixa assaltando o bolso do miserável condutor, e muitos desses, sequer têm dinheiro pra colocar combustível no seu carro ou trocar as pastilhas de freio.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *