Legislativo 13:22

Deputado quer revogação do título de cidadania de Lula e defende honraria para Moro e Mourão

Wallber Virgolino alega não querer “um conterrâneo criminoso” em justificativa dada à imprensa

Wallber Virgolino aponta propostas como necessárias à moralidade. Foto: Divulgação/ALPB

O deputado estadual Wallber Virgolino (Patri) protocolou na Assembleia Legislativa um projeto que pede a revogação do “Título de Cidadão Paraibano” concedido pela Casa ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A honraria foi aprovada pelos parlamentares em novembro de 2003, proposta, na época, por um deputado tucano, o hoje prefeito de Guarabira, Zenóbio Toscano. O patriota apresentou como justificativa para a proposta o fato de não querer um conterrâneo “criminoso”. A matéria, recheada de polêmicas, chega à Casa junto com o pedido de honrarias para o vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), e para o ministro da Justiça, Sérgio Moro. Este último, quando juiz federal, foi responsável pela determinação da prisão de Lula.

“A gente fala em combate à corrupção. A gente fala em preservar a moralidade pública. O ex-presidente Lula, ele responde a vários processos, e é condenado em segunda instância por dois processos. Eu particularmente não quero ter um conterrâneo criminoso. Muita gente valoriza, porque politiza a situação, mas nós temos que encarar essa conduta de forma séria”, disse Virgolino, errando na quantidade de condenações em segunda instância. O título de Cidadania de Lula foi entregue em 19 de março de 2017, 14 anos após ele ser agraciado com a comenda. A honraria foi entregue durante a inauguração informal da transposição de águas do São Francisco. A oficial foi feita pelo então presidente Michel Temer (MDB). Este último também chegou a ser preso.

Em março de 2017, a Assembleia Legislativa também aprovou a concessão da maior honraria da Casa ao ex-presidente. A “Medalha de Epitácio Pessoa” foi aprovada com o placar de 26 votos a favor e cinco contrários. Na mesma sessão, a honraria também foi concedida para beneficiar a ex-presidente Dilma Rousseff. A possibilidade de sucesso do deputado do Patriota, no entanto, é remota. Isso pelo fato de o atual governador, João Azevêdo (PSB), aliado de Lula, ter maioria absoluta na Casa. O deputado queria que as matérias fossem apreciadas em regime de urgência, com votação ainda nesta terça-feira. O pedido, no entanto, foi rejeitado pela maioria dos parlamentares e terá, por isso, que tramitar nas comissões.

Moro e Mourão

Sobre o título de Cidadania requerido para Hamilton Mourão, Virgolino disse que era uma questão de respeito. “Temos que ter patriotismo, valorizar homens públicos que realmente defenderam o Brasil”, disse. Já sobre Sérgio Moro, ele foi mais enfático ao lembrar o perfil do ministro. “Tudo o que acontece no Brasil de combate à corrupção foi estimulado por Sérgio Moro. A Operação Calvário só existiu na Paraíba por que Sérgio Moro deu início à Lava-Jato. Ele estimulou homens públicos da qualidade de Octávio Paulo Neto e Ricardo Vital e por si só ele merece homenagem, sem falar que ele é ministro da República”, disse.

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    romero

    A Moro sim, mas a Mourão acho desmerecido!

  2. Avatar for Suetoni
    Alexandra

    O Brasil arqueando e o povo sem emprego e o nobre deputado perdendo seu precioso tempo com essa bobagem?? Bora trabalhar Dr. ? Foi eleito para isso !

    • Avatar for Suetoni
      Ramilson

      Esse Deputado esta demonstrando que è Politico de um sò Mandato, o Maior presidente que o Brasil ja teve foi o Lula , e nimguem vai apagar isso.

    • Avatar for Suetoni
      Capitão Corisco

      Estranho. Um Deputado que faz da simbologia de um bandido (Lampião) seu mote politiqueiro. Um deputado que pouco conhece de Estado, amigo pessoal de Berg Lima….e diz que não tem apreço por bandido? Rs. Num debate, esse rapaz será a piada da vez.
      É cada um que se meteu a fazer política nesse país…

  3. Avatar for Suetoni
    José Luciano

    Tudo farinha do mesmo saco.

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *