Judiciário 13:30

Em depoimento, Livânia explica ao Gaeco sobre pagamentos à imprensa

Promotores já têm elementos suficientes para acreditar que a Cruz Vermelha não era o único canal para o pagamento a “aliados”

Livânia Farias deixou a Câmara Criminal sem falar com a imprensa. Foto: Reprodução

A colaboração da ex-secretária de Administração, Livânia Farias, com as investigações da operação Calvário tem apresentado aos promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) novas linhas de investigação. Uma delas diz respeito à área da Comunicação. A ex-auxiliar do governo deu detalhes sobre como empresas que prestam serviço ao Estado teriam sido usadas para fazer pagamentos a aliados sem que isso impactasse as contas da administração pública. O caso está sendo analisado pelos investigadores, que iniciaram um intrincado trabalho de cruzamento de informações.

Livânia Farias deixou a prisão na última terça-feira (23), graças a decisão da juíza Andréa Gonçalves Lopes Lins. Informações de bastidores indicam que ela firmou acordo de colaboração premiada e, por isso, repassou muitas informações aos investigadores. A ex-secretária é acusada de ter intermediado pagamento de propinas pela Cruz Vermelha Brasileira filial Rio Grande do Sul. As declarações da ex-secretária foram dadas ao Gaeco e, de acordo com a avaliação dos investigadores, devem apontar novos desdobramentos da operação.

O contrato da Cruz Vermelha com o Estado envolveu o investimento de R$ 1,1 bilhão entre 2011 e 2018. Junto com o Instituto de Psicologia Clínica, Educacional e Profissional (IPCEP), a entidade gere os hospitais de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, Metropolitano Dom José Maria Pires e o Regional de Mamanguape.

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    rfm

    Eu falei há muito tempo ; se procurar acha,em qualquer secretaria de Estado.

  2. Avatar for Suetoni
    EDILSON SOBRAL DE MORAIS – ADVOGADO – OAB-PB n.º 8475

    Vamos ver em que dá tudo isso. A Sra. Livânia Farias tem a obrigação de não incluir em suas falcatruas pessoas de bem e inocentes que não participaram da vergonhosa fase de enriquecimento ilícito. De repente haverá algum ou alguns que nem sabiam de onde o dinheiro estava vindo. Só ela pode atestar essas coisas. Agora, quem sabia a origem e se calou que deve pagar judicialmente. E logo ela, que exercia a maior Pasta em nivel de governo? Se passar para ser cano de passagem para água suja? Logo, não é inocente porque não é nenhuma criança e tão pouco ignorante. Se envolveu por ganância. Nem se lembrou de seus filhos e de sua família, que segundo consta, alguns fizeram parte dessa sujeira. Agora, querem escorregar de lado e colocar a culpa nos outros? Gostaram de abocanhar os numerários e, portanto, que batam com a cara no muro de pedra. Esperemos para ver em que dá toda essa safadeza, pois, a conheci nos tempos em que era pobre, pessoa simples, mas, que depois de assumir cargos tanto na Prefeitura, como no Estado, passou a não olhar plara ninguém do seu mundo anterior e só olhar para o mundo de vidro, ao qual passou a frequentar. Nem recebia para uma entrevista os conhecidos de outrora. E agora? Com quem contar? DEUS tenha pena de sua alma.

    • Avatar for Suetoni
      Maria do Carmo Araujo

      Concordo plenamente!!

  3. Avatar for Suetoni
    Antônio Carlis

    Espero que não fique só na doutora Livania e seus parentes, que apareça o cabeça de tudo isso e mais desmandos que veem por aí.

  4. Avatar for Suetoni
    Áurea Magalhães Albuquerque Souto

    Sei que estou com vergonha da Paraíba, está sendo mais um dos Estado, que ajudou a afundar o país, por sujeito mascarado, Ricardo, enganou o povo por muito tempo, com aquela carranca dele, por dentro é podre! Onde vai mostrar a cara lisa dele? O que tem de gente com raiva dessa turma pesada, é impressionante! Nunca enganou a Deus, Esse estava guardando o momento certo para que a verdade viesse a tona. Nada fica impune, mas duvidam, continuam cometendo atrocidades… aguente as consequências!!!

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *