Judiciário 17:37

Livânia é liberada pela Justiça e pessoas próximas a ela confirmam delação

Ex-secretária de Administração do Estado estava presa desde o dia 16 de março e é suspeita do recebimento de propina

Livânia Farias participa de audiência de custódia na Câmara Criminal. Foto: Divulgação

A ex-secretária de Administração do Estado, Livânia Farias, vai deixar a prisão ainda nesta terça-feira (23). Ela está presa na 6ª Companhia da Polícia Militar, em Cabedelo, desde o dia 16 de março. A ex-auxiliar dos governos de Ricardo Coutinho e João Azevêdo, ambos do PSB, vinha negociando há alguns dias um acordo de colaboração premiada com o Ministério Público da Paraíba. Livânia é acusada de ter atuado como gestora dos contratos do Estado com a Cruz Vermelha Brasileira filial Rio Grande do Sul. Há acusações de fraudes em licitações, superfaturamentos e pagamentos feitos a autoridades. O caso é investigado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba.

A juíza encarregada da condução do caso, na 5ª Vara Criminal de João Pessoa, é Andréa Gonçalves Lopes Lins. Ela justificou a decisão com o argumento de que a ré está colaborando com a Justiça. “No caso dos autos, não mais subsistem os motivos autorizadores da medica extrema, notadamente porque as investigações imprescindíveis já foram encerradas, a denunciada, até o presente momento, não oferece nenhum tipo de resistência a eventuais novas acusações em seu desfavor, reconheceu perante o órgão acusatório as imputações apuradas neste processo, bem como apresentou informações de seu acervo de bens, não existindo risco de novas ocultações, portanto, não se mostra adequada e necessária a manutenção da prisão, já que a instrução criminal não se encontra ameaçada”, diz a decisão.

A soltura de Livânia também contou com a concordância do Ministério Público, que, em parecer, sugeriu a conversão da prisão preventiva em medidas cautelares. Com isso, a ex-secretária fica impedida de acessar repartições do governo do Estado, manter contato com testemunhas e/ou fornecedores da secretaria de saúde, fornecedores de campanha eleitoral e seus parentes até o 3º grau. Também não pode se deslocar a locais com distância superior a 200 km da Comarca de João Pessoa, nem exercer cargos públicos. Livânia Farias também estará obrigada a comparecer mensalmente ao Ministério Público da Paraíba, em datas a serem ajustadas diretamente com os investigadores do órgão.

Ao tomar conhecimento de que Livânia estaria negociando um acordo de colaboração premiada, o advogado Solon Benevides deixou o caso. O outro responsável pela defesa, Sheyner Asfora, poderá seguir o mesmo caminho até esta quarta-feira (24). Não há informação sobre quem serão os novos defensores da ex-secretária.

Calvário

Livânia foi tornada ré na ação pela juíza Andréa Gonçalves Lopes Lins há duas semanas no bojo da operação Calvário. Além dela, cinco outras pessoas viraram réus na mesma ação. Os outros implicados são Elvis Rodrigues Farias, Leandro Nunes Azevedo, Daniel Gomes da Silva, Michelle Louzada Cardoso e Maria Aparecida de Oliveira. Deles, Livânia, Daniel e Michelle são os únicos presos atualmente. Leandro chegou a ser preso na segunda etapa da operação, mas foi solto a pedido do Ministério Público após acordo de colaboração premiada.

A ação investiga a suposta participação da ex-auxiliar do governo estadual em esquema de recebimento de propinas pagas pela Cruz Vermelha Brasileira filial Rio Grande do Sul. O esquema foi delatado pelo ex-assessor da Secretaria de Administração, Leandro Nunes Azevedo, preso na segunda fase da operação. O mandatário da Cruz Vermelha, Daniel Gomes, também foi preso na segunda etapa da operação e permanece detido no Rio de Janeiro.

Livânia é acusada do recebimento de propinas pagas por dirigentes da Cruz Vermelha Brasileira filial Rio Grande do Sul. A instituição, em conjunto com o Instituto de Psicologia Clínica, Educacional e Profissional (IPCEP), administrou recursos da ordem de R$ 1,1 bilhão entre 2011 e 2018. Elas são responsáveis pela gestão dos hospitais de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, Metropolitano Dom José Maria Pires e o Regional de Mamanguape.

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    Bráulio Jordao de Queiroz Brito

    Esse pessoal do governo psb, pt, psol, psdb, pmdb, são todos aproveitadores, doidos por dinheiro alheio, tudo bandidos, só querem se fazerem. Tudo na cadeia, tem muitos outros ainda, tem a turma da frente

  2. Avatar for Suetoni
    Erinaldo Inácio da Silva

    Secretaria com poder na mão é pra ajudar o povo carente e não ajudar o povo ficar mais sofrido na vida.

  3. Avatar for Suetoni
    Jean Araújo Gomes

    Muito evasiva a notícia.
    A não ser que seja o processo em segredo de justiça.
    Não da nome aos bois de nenhum envolvidos.

  4. Avatar for Suetoni
    Claudio

    Esta senhora precisa de proteção

  5. Avatar for Suetoni
    juliana

    QUAIS OS DEPUTADOS QUE A ESSAS ALTURAS ESTÃO COM MEDO DE DORMI, E AMANHCER DE PULSEIRA PRATEADA!?

  6. Avatar for Suetoni
    J.senna

    Espero que a justiça seja feita.

    Ela não respontada e descasque sozinha esse pepino.

  7. Avatar for Suetoni
    Bruno Lima

    Mais uma vez o que vemos é. Ganância e a corrupção do ser humano.
    Os nomes tem que vir a público. Esse estado está passa do por mudanças, parabéns aos homens e mulheres que buscam acabar com a má polica, a má gestão e desvios de recursos.
    Que sofre é o povo, que precisa dos serviços e não tem.

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *