Nomeação de Benjamin Maranhão descontenta aliado de Bolsonaro na Paraíba

Ex-deputado vai comandar uma das diretorias ligadas ao Ministério da Cidadania

A sinalização do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na direção das nomeações políticas tem descontentado aliados. A promessa de abrir vagas no terceiro e quarto escalões ocorre na tentativa de atrair votos no Congresso. Da Paraíba, a nomeação mais recente foi a do ex-deputado federal Benjamin Maranhão (MDB). Ele foi anunciado para ocupar o cargo de diretor do Departamento de Fomento à Inclusão Social e Produtiva Rural da Secretaria Nacional de Inclusão Social e Produtiva Rural da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania.

Reprodução

Benjamin é sobrinho do senador José Maranhão (MDB). Nas eleições de 2018, ele tentou a reeleição para a Câmara dos Deputados, mas ficou de fora. Ele obteve 45.599 (2,23% dos votos válidos) e ficou como 1º suplente da chapa MDB-PR-Patriotas, que elegeu apenas o deputado Wellington Roberto (PR). A nomeação do emedebista descontentou o deputado federal Julian Lemos, do PSL. O parlamentar chamou a indicação de esdrúxula e disse não ter tido qualquer influência na escolha.

A portaria de nomeação, assinada pelo ministro Onyx Lorenzoni, foi publicada no Diário Oficial de quinta-feira (21). Veja o que disse Julian Lemos em uma rede social:

Bom dia a todos.
Desde ontem muitas pessoas, sobretudo meus eleitores tem me perguntando se tenho alguma participação na indicação do ex Deputado Federal Benjamim Maranhão, afirmo…Não tenho ! Não fiz alianças antes da campanha para esse tipo acordo pós campanha.
Acho que, quem de fato sabe da minha postura sabe que não concordo com esse modelo de indicação, não precisa me conhecer muito para saber que de modo algum faria uma indicação esdrúxula dessas para cargo tão importante, acho que não preciso explicar os fatos.

 

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *