Tambiá Folia é o tempero político das prévias carnavalescas de João Pessoa

Bloco organizado pelo vereador Marcos Vinícius tem dosado atrações musicais com encontros de políticos das mais diversas vertentes ideológicas

No bloco, em 2018, irmãos Cartaxo circularam em 2018 ainda sem dar pistas de quem seria o candidato. Foto: Divulgação

O Tambiá Folia, no bairro de Tambiá, em João Pessoa, vem se transformando, nos últimos anos, em espaço que reúne atrações musicais e discussões políticas. No palco, os foliões serão animados pela Banda Mel, atração histórica no carnaval baiano, e pelo cantor Kevin Ndjana, revelado pelo programa The Voice Brasil, da Rede Globo. Nos camarotes, políticos das mais diversas vertentes ideológicas do Estado. E é justamente por conta disso que, durante a festa, não são poucas as conversas sobre futuras disputas eleitorais. O bloco é organizado pelo vereador de João Pessoa, Marcos Vinícius (PSDB), e comemora na atual edição do Folia de Rua a marca de 20 anos de existência.

A festa acontece na Praça Prefeito Manoel Moreira da Nóbrega e a expectativa dos organizadores é reunir 10 mil pessoas. Uma das atrações, a Banda Mel, está na estrada há 35 anos, com a marca de mais de 3 milhões de discos vendidos. Já Kevin Ndjana surge como fenômeno da nova geração. A concentração começa às 19h. Segundo a diretora do bloco, Solange Monteiro, o grande homenageado este ano é o ritmista paraibano Jackson do Pandeiro, que este ano completaria 100 anos se estivesse vivo. “O estandarte é em homenagem a este grande paraibano que foi reconhecido internacionalmente como o rei do ritmo e tem tantos sucessos imortalizados pelo seu jeito único de cantar”, destacou.

De carona com a lenda do bairro

O Tambiá Folia foi fundado há 20 anos como um bloco que sempre reuniu familiares e velhos amigos do bairro mais antigo de João Pessoa. Os organizadores lembram que o bloco carrega a lenda de amor que remonta a tragédia do um guerreiro Cariri, chamado Tambiá. Ele foi feito prisioneiro por índios potiguaras e morreu nos braços da índia Aipré, filha do Cacique da aldeia inimiga. Ao ser feito prisioneiro, Tambiá passou a receber os cuidados da índia Aipré e ambos se apaixonaram. Com a morte do prisioneiro, Aipré chorou sobre a sua tumba durante cinquenta luas e do seu pranto originou-se a fonte que jorra água no local do hoje Parque Zoobotânico Arruda Câmara, conhecido popularmente como Bica, situado justamente no Bairro que a partir de então passou a chamar-se Tambiá.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *