Calvário: Ministério Público investiga secretários por suposto direcionamento de licitação

Áudio vazado traz conversa entre empresário do ramo da saúde, Waldson de Souza e Gilberto Carneiro

O caso está sendo investigado no bojo da operação Calvário. Foto: Divulgação/polemica.paraiba.com.br

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) está investigando denúncias de suposto direcionamento de licitação no Governo do Estado. A apuração é feita no bojo da operação Calvário, que investiga a atuação de uma organização criminosa coordenada pela Cruz Vermelha Brasileira, filial Rio Grande do Sul. Um dos pontos analisados é um áudio vazado de uma conversa entre um empresário referido apenas como Eriberto, o secretário de Planejamento e Gestão do Estado, Waldson de Souza, e o procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro. O diálogo, em data não revelada, indicaria orientações sobre o que o interessado em contrato de fornecimento de equipamentos para hospitais deveria fazer para ter sucesso no pregão.

No áudio em poder do Ministério Público, Waldson de Souza explica o que o empresário deverá colocar na minuta para reduzir a concorrência de outras empresas. Ele ressalta que algumas concorrentes vão se apresentar para o certame e alerta para o risco de judicialização da licitação. O contrato é para o fornecimento de equipamentos hospitalares. O nome da empresa e a data da conversa não foram revelados. O diálogo, no entanto, demonstra que, na época, Souza ocupava o cargo de secretário de Saúde do Estado. Este período foi compreendido entre 2011 e 2014, durante a gestão do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB).

Um trecho do diálogo, antes da conversa sobre os contratos da saúde, mostra Waldson tratando sobre questões relacionadas a partidos políticos. O conteúdo sugere se tratar de questões eleitorais, indicando que o diálogo ocorreu em 2012, nas eleições municipais, ou em 2014, no pleito estadual. O procurador-geral de Justiça, Seráphico da Nóbrega, explicou que os dois áudios estão em poder do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). “Os fatos serão apurados sob a ótica criminal”, ressaltou o procurador.

Waldson de Souza foi alvo da segunda etapa da operação Calvário, desencadeada na sexta-feira da semana passada, dia 1º. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços ligados a ele e à secretária de Administração do Estado, Livânia Farias. Houve a prisão, também, do ex-assessor da Secretaria de Administração do Estado, Leandro Nunes Pereira; do presidente da Cruz Vermelha Brasileira filial Rio Grande do Sul, Daniel Gomes da Silva, e da secretária particular dele, Michelle Louzada Cardoso. Houve mandado de busca e apreensão cumprido, ainda, contra a empresária Analuisa de Assis Ramalho Araújo.

A operação foi desencadeada pelo Ministério Público da Paraíba em conjunto com o Ministério Público do Rio de Janeiro. “Na medida de busca e apreensão formulada pelo MPPB já são trazidos outros fatos a serem apurados, inclusive apontados pela auditoria do TCE/PB”, explicou procurador-geral de Justiça. A denúncia foi trazida inicialmente no site Paraíba Radioblog e confirmada pelo blog e pela TV Cabo Branco.

O governador João Azevêdo (PSB) foi abordado pela TV Cabo Branco, nesta sexta-feira (8). Ele disse que ainda não havia ouvido os áudios, mas demonstrou preocupação de não condenar sem que antes o caso seja investigado.

O procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro, revelou ao blog que está tranquilo e prometeu se pronunciar em breve.

O secretário Waldson de Souza não foi localizado pelo blog.

comentários - Calvário: Ministério Público investiga secretários por suposto direcionamento de licitação

  1. rubens figueiredo Disse:

    Ficou com medo de publicar o áudio?

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *