Procurador-geral adjunto gera polêmica ao se inscrever em concurso da Procuradoria

Titular da pasta alega não haver irregularidade na participação do colega no certame

Polêmica certa a elaboração do concurso para a Prefeitura de João Pessoa. Foto: Divulgação/TRF2

O procurador-geral adjunto da prefeitura de João Pessoa, Rodrigo Clemente de Brito, gerou polêmica nesta quarta-feira (24). Ele aparece como um dos candidatos no concurso para procurador do município ser a realizado pela gestão. O tema ganhou repercussão nas redes sociais, com críticas e protestos de outros candidatos à vaga. A alegação comum é a de que poderia estar havendo a contaminação do certame por suposta influência do candidato na organização do concurso.

O blog ouviu o procurador-geral do Município, Adelmar Régis, que negou as irregularidades. Ele alega que o candidato em questão não participou, em nenhuma etapa, da elaboração das provas ou da escolha do instituto responsável pela aplicação da avaliação. “Temos todas as atas das reuniões da comissão organizadora e ele, deliberadamente, não participou de nenhuma etapa. Há representantes da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) na comissão. Todos podem comprovar a lisura”, alega.

A prova objetiva está prevista para acontecer no dia 18 de novembro, no turno da tarde. Dez dias antes, no site da organizadora e no Semanário Oficial de João Pessoa, os candidatos podem conferir os locais e horários da prova.

O resultado final do concurso está previsto para ser divulgado no dia 11 de dezembro. O concurso tem validade de dois anos, a partir da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado uma vez, por igual período.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *