Ruy Carneiro nega saída do PSDB, mas espera mea-culpa do partido

Presidente estadual do partido passará o cargo para Cássio a partir de fevereiro do ano que vem

Ruy Carneiro defende que o partido faça reciclagem. Foto: Larissa Ponce/Agência Câmara

O deputado federal eleito Ruy Carneiro negou na tarde desta segunda-feira (22) a intenção de deixar o PSDB. Ele vai entregar o comando da sigla, no estado, para o senador Cássio Cunha Lima, no ano que vem. Desde o fechamento das urnas, no último dia 7, admite pressões de pessoas próximas para mudar de ares. “Não está dentro dos meus planos essa mudança”, ressaltou, em conversa com o blog. O tucano, no entanto, defende que o partido faça uma mea-culpa dos seus erros e se recicle, visando eleições futuras. A sigla tucana tem 49 deputados federais atualmente, mas só conseguiu eleger 29 para a próxima legislatura.

A transição de partido grande para médio fez os tucanos acenderem o sinal de alerta. Ex-presidente da sigla, o senador Tasso Jereissati (CE) apontou como um dos erros do partido a não aceitação do resultado das urnas, de 2014. Com isso, ele reforçou, trabalhou para inviabilizar o governo de Dilma Rousseff (PT) contra as próprias convicções e apoiou pautas bomba no Congresso. Depois disso, viu suas principais lideranças serem acusadas de corrupção. O senador Aécio Neves (MG) foi denunciado no esquema da JBS e, para ser eleito, neste ano, disputou vaga na Câmara.

Fora isso, os ex-governadores de Goiás, Marconi Perillo, e do Paraná, Beto Richa, chegaram a ser presos. Ambos sofreram fragorosas derrotas nos seus estados. Aqui na Paraíba, o senador Cássio Cunha Lima, maior liderança do partido, não conseguiu renovar o mandato. A sigla, por isso, precisará se reinventar para ressurgir visando eleições futuras.

 

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *