Carro ‘com selo do Ministério Público’ é usado em carreata de Zé Maranhão

Parlamentar fez périplo por cidades do Sertão em busca de apoios para a campanha política

Veículo com selo do Ministério Público levou candidato ao governo e tinha gente pendurada até na janela. Foto: Divulgação/MDB

Um fato curioso aconteceu na agenda política do senador José Maranhão (MDB), neste sábado (1°), mas poderia ter sido na de qualquer outro candidato ao governo da Paraíba. Durante uma carreata, a caminhonete que transportava o parlamentar e a militância trazia até gente pendurada na janela. Só aí teríamos como elencar uma série de infrações ao Código Brasileiro de Trânsito. Mas além de tudo isso, ainda tem o fato de o veículo carregar o selo do Ministério Público da Paraíba (MPPB). Um adesivo restrito aos membros do órgão. Nas eleições deste ano, vale ressaltar, em várias comarcas os promotores estão recomendando que os postulantes a cargos eletivos não realizem carreatas por causa do número de ilícios registrados.

Selo restrito a membros do Ministério Público em carro usado na carreata. Foto: Divulgação

A fórmula do uso das carreatas tem sido usada largamente desde o século passado. Não tem, claramente, efeito prático eleitoral nenhum. Mesmo assim, os candidatos lançam mão da estratégia para demonstrar força, fazer imagens para o guia… O Ministério Público e a Justiça Eleitoral, inclusive, têm cobrado dos municípios a fiscalização das carreatas. Isso para que as leis de trânsito não sejam jogadas no lixo. Não raro, nas manifestações, são flagradas pessoas trafegando nas carrocerias de caminhonetes e caminhões, carros sobre calçadas, bebedeiras, pessoas com o corpo projetado para fora da janela dos veículos e uma infinidade de outras irregularidades. Sem exageros, se jogar o Código de Trânsito para cima, na página que ele cair aberto, haverá implicação relacionada às carreatas.

Em algumas cidades, pelo que fica claro na foto, ao invés de combater, tem membro do Ministério Público fechando os olhos à ilegalidade. Neste caso vale a frase sempre atual: vem se lambuzar de Brasil…

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *