Executivo 9:18

Afastado do cargo pela operação Xeque-Mate, morre vice-prefeito de Cabedelo

Flávio Oliveira era vice de Leto Viana e, ao contrário do colega de chapa, não chegou a ser preso durante a operação

Corpo de Flávio Oliveira será velado no Parque das Acácias. Foto: Divulgação

O vice-prefeito de Cabedelo, Flávio Oliveira (PRP), faleceu na madrugada deste domingo (15). Ele estava afastado do cargo desde o dia 3 de abril, quando foi desencadeada pelo Ministério Público da Paraíba e pela Polícia Federal a operação Xeque-Mate. A ação levou para cadeia o prefeito Leto Viana (PRP), o presidente da Câmara de Cabedelo, Lúcio José (PRP), e a vice-presidente do poder, Jacqueline França (PRP), mulher de Leto. Oliveira foi apenas afastado do cargo. Ele faleceu, às 00h30, aos 57 anos, em decorrência de uma insuficiência cardiorrespiratória, no hospital da Unimed em João Pessoa. O velório e o sepultamento vão acontecer no Parque das Acácias.

“Oriundo de família honrada e tradicional na cidade, Flávio era bacharel em Direito e estava afastado do atual cargo eletivo. Porém, é de conhecimento público, os relevantes serviços por ele prestados ao Município de Cabedelo nos diversos cargos que já ocupou na cidade”, diz nota divulgada pela Prefeitura de Cabedelo. O prefeito em exercício da cidade, Vítor Hugo, decretou Luto Oficial de três dias em decorrência da morte. “Desejo, ainda, que Deus, em sua infinita bondade e misericórdia, lhes dê o conforto neste momento tão doloroso”, disse o gestor.

Perfil

Flávio de Oliveira nasceu em 12 de maio de 1961. Filho de Francisco de Oliveira e Maria das Graças Carneiro de Oliveira, é graduado em Negócios Imobiliários pelo IFPB e Bacharel em Direito pela Asper. Foi Vereador por três mandatos, durante o período de 1988 a 2000. Na Prefeitura de Cabedelo, já ocupou o cargo de secretário municipal de Transporte, Serviços Urbanos e Turismo.

Operação Xeque-Mate

A Operação Xeque-Mate foi deflagrada no dia 3 de abril, numa ação realizada pela Polícia Federal em conjunto com o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público estadual, em cumprimento aos mandados autorizados pelo desembargador João Benedito da Silva. Durante o inquérito policial,foram constatadas práticas ilícitas, tais como contratação de servidores fantasmas, doação de terrenos, utilização de interpostas pessoas para ocultação patrimonial, controle do Legislativo municipal por parte do prefeito, através do empréstimo de dinheiro para campanhas políticas, condicionado à assinatura de “cartas renúncia”, entre outras acusações.

Naquele momento, o desembargador João Benedito determinou a expedição de 11 mandados de prisão preventiva, 36 de busca e apreensão de documentos, mídias eletrônicas, veículos e objetos relacionados nas investigações. Ordenou, ainda, o afastamento cautelar do cargo de 84 servidores públicos e agentes políticos do Município de Cabedelo, incluindo o prefeito, vice-prefeito, o presidente e a vice-presidente da Câmara, além de vereadores em virtude da suspensão do exercício de suas funções públicas.

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *