PP define até a próxima semana se fica com Lucélio ou João Azevedo

Definição do destino dependerá de quem oferecerá melhores condições para disputa a proporcional e para o Senado

Daniella Ribeiro pretende disputar uma vaga no Senado nas eleições deste ano. Foto: Roberto Guedes/ALPB

Esqueça qualquer tipo de ideologia ou fidelidade cega a grupo político. O PP vai ficar nas eleições deste ano com a coligação que oferecer melhores condições para o projeto do partido. A sigla vai para o pleito com o objetivo claro de emplacar a deputada Daniella Ribeiro chapa majoritária e eleger deputados. A parlamentar teve acesso a pesquisas internas e acredita ter chances para o Senado. Diante dela, hoje, há três cabeças de chapa que podem abrir espaço para o projeto progressista. As possibilidades de composição, no entanto, estão mais próximas de João Azevedo (PSB) e Lucélio Cartaxo (PV).

Da mesma forma que a possibilidade de uma composição com José Maranhão (MDB) é um quadro remoto atualmente, a aproximação com Azevedo é a mais provável. A conjuntura que aproxima o PP do grupo liderado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) é bem recente. Os grupos estão separados desde 2010, quando o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) rompeu com o socialista. Historicamente, Daniella é a parlamentar que mais critica a gestão socialista. As demandas têm a ver, em geral, com questões relacionadas à insegurança no Estado.

A pauta, inclusive, é o mote da reunião da tarde desta terça-feira (3) na Granja Santana. Desde o início do ano a parlamentar tentava, enquanto deputada, ser recebida pelo governador. O pedido do encontro foi para discutir questões relacionadas com a segurança em Campina Grande. Os primeiros sinais do encontro foram parecidos com o de uma paquera entre os partidos que poderá evoluir rapidamente para namoro. Neste caso, os próximos dias dirão o destino da sigla. As conversas com o PSB estão adiantadas e há espaços. O discurso para o alinhamento, mesmo de alguém saído da oposição, pode ser construído com grande facilidade.

A Paraíba é pródiga em exemplos de adversários que se tornaram grandes aliados, muitas vezes de forma efêmera. Ricardo foi aliado de Aguinaldo Ribeiro, virou adversário e pode se aproximar novamente. O socialista, da mesma forma, já foi adversário do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), virou aliado e novamente adversário. A mesma coisa aconteceu com José Maranhão (MDB) e Luciano Cartaxo (PV). De fato, na Paraíba, este negócio de direita e esquerda serve apenas para indicar o lado para a curva no trânsito. Tudo depende da conveniência de quem busca e  de quem oferece o apoio.

O PP de Daniella Ribeiro, vale ressaltar, tem pressa por uma definição. A expectativa é que o destino do partido seja definido até a próxima semana. A preço de hoje, João Azevedo tem vantagens na aproximação. Não há, no entanto, como afastar de vez a possibilidade de composição com Lucélio. O partido integra as gestões municipais  de João Pessoa e Campina Grande, que dão sustentação à candidatura do verde. Para os puristas apegados a questões de fidelidade, vale a velha máxima política de que apenas os “amigos” são capazes de trair.

 

comentários - PP define até a próxima semana se fica com Lucélio ou João Azevedo

  1. rfm Disse:

    Daniella, fica com João que tu vai tirar na loteria.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *