Manoel Júnior diz que busca o diálogo no MDB, mas não sabe falar javanês

Vice-prefeito se preocupa com movimentação de José Maranhão e vai cobrar adesão a Cartaxo

Manoel Júnior na mesa com Raimundo Lira, Michel Temer, José Maranhão e Moreira Franco. Foto: Francisco França

O vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (MDB), vive uma saia justa sem tamanho entre os seus aliados. Ele defende que o partido feche questão em relação ao apoio ao prefeito Luciano Cartaxo (PSD). Caso o gestor decida se desincompatibilizar do cargo em abril deste ano para disputar o governo, ele assume a titularidade da prefeitura. O problema é que o senador José Maranhão, que preside o partido no Estado, também quer disputar o governo. O projeto do emedebista põe em risco a candidatura de Cartaxo e, consequentemente, a posse de Manoel Júnior no cargo. Por isso, Júnior convocou reunião do diretório municipal para quarta-feira (10).

“Tenho tentado o diálogo (dentro do partido). Só não entendo javanês”, disse Manoel Júnior, com referência indireta ao conto de Lima Barreto, escrito no início do século passado, “O homem que falava javanês”. A sentença é comumente utilizada na política para se referir à falta de entendimento entre os integrantes de um grupo. O vice-prefeito, assim como Cartaxo, cobra uma definição rápida do partido sobre o apoio para as eleições deste ano. O tema tem sido o combustível para um intenso debate entre as lideranças partidárias, travado na imprensa.

O senador José Maranhão entende que tem condições de vencer as eleições ou, pelo menos, apresentar uma candidatura competitiva. Ele traz no bojo da experiência partidária o fato de ter governado o Estado em três oportunidades. Os seus adversários, dentro do partido, lembram da baixa efetividade dele nas disputas. O parlamentar assumiu o governo, em 1995, após a morte do titular do cargo, Antonio Mariz. Ele foi reeleito em 1998 contra o então deputado federal Gilvan Freire. Depois disso, foi derrotado em 2006 e 2010 na disputa para o governo. Assumiu em 2009 com a cassação de Cássio Cunha Lima (PSDB). Em 2012, ficou em quarto lugar na disputa pela prefeitura da capital.

“Não adianta ter recall na largada e perder força na chegada”, disse em reserva um emedebista ouvido pelo blog. E a discussão está apenas começando.

 

 

2 comentários - Manoel Júnior diz que busca o diálogo no MDB, mas não sabe falar javanês

  1. RAMALHO Disse:

    E EM Araruna SE FALA JAVANES? A LINGUAGEM DE ZÉ VEM DE LÁ, ONDE TODO MUNDO O ENTENDE DESDE MENINO. talvez NAO SEJA A MESMA DE PEDRAS DE FOGO KKKK

  2. JOSE Disse:

    MARANHÃO EMBORA SEJA UM HOMEM QUE TODOS NOS CONHECEMOS , DE PASSADO BRILHANTE, DEVERIA ENTENDER QUE SUA ÉPOCA JÁ PASSOU, NÃO SE DEIXAR VENCER PELO EGOCENTRISMO, SOBRETUDO SABENDO QUE TEM FORTES ALIADOS COM MAIS CHANÇE DE SUCESSO, COMO CARTAXO POR EXEMPLO.
    ESTA ATITUDE DA RAPOSA VELHA , TÃO SOMENTE DEMONSTRA A SEDE DE PODER , MANDAR E FAZER, QUE PREDOMINA NO ATUAL GOVERNO GIRASSOL.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *