Cássio minimiza pressão de Cartaxo e revela preferência dele por Romero para a disputa

Senador diz que é preciso saber primeiro se Cartaxo e Romero vão se desincompatibilizar das prefeituras

Os ponteiros dos relógios das lideranças dos partidos de oposição ao governador Ricardo Coutinho (PSB) andam em compasso diferente. Um dia depois de o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), cobrar uma definição rápida do nome para enfrentar o candidato governista, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) demonstrou entendimento divergente. O parlamentar não admite pressa para a definição e não negou, inclusive, a possibilidade de pulverização de candidaturas. Ao analisar os nomes postos, manifestou preferência pessoal pelo prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB).

“O que temos hoje é uma candidatura posta do PSDB, com uma pré-candidatura do prefeito Romero Rodrigues, eu já disse que no meu caso o projeto é disputar a reeleição para o Senado, e no campo das oposições, além da pré-candidatura de Romero Rodrigues temos a pré-candidatura do senador José Maranhão e a pré-candidatura do prefeito Luciano Cartaxo. Eu tenho defendido a ideia de que devemos fazer um esforço para unificar as candidaturas da oposição em uma só. Para isso, é preciso diálogo. É preciso conversa. É preciso entendimento com o que está em curso”, ressaltou Cássio durante entrevista à CBN João Pessoa.

O senador disse que esta é uma fase em que todos os partidos têm legitimidade para apresentar os seus nomes. “Naturalmente, a minha preferência é por Romero Rodrigues porque além de ser companheiro de partido é um amigo de 30 anos. Eu fui prefeito de Campina Grande e Romero foi vereador, presidente da Câmara e meu secretário na prefeitura. Fui governador e Romero foi deputado e meu secretário. É uma situação difícil porque tem o prazo para a desincompatibilização”, ressaltou o parlamentar. Cássio lembra que é preciso esperar as decisões tanto de Romero Rodrigues quanto de Luciano Cartaxo em relação à saída da prefeitura.

A partir da saída dos prefeitos do cargo, será afinada a composição. O senador diz que, dependendo do cenário, nada impede que haja mais de uma candidatura no campo das oposições.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *