Pagamento do 13º de parte dos servidores de Campina Grande ainda está atrasado

Por Jhonathan Oliveira

Parte dos servidores da Prefeitura de Campina Grande ainda está aguardando o pagamento da segunda parcela do 13º salário, que deveria ter saído no dia 20 de dezembro. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Municipais do Agreste da Borborema (Sintab), não existe uma previsão para o dinheiro sair. A entidade disse ainda que outras quatro cidades da região também estão em dívida com o pagamento do benefício.

“A tristeza é muito grande, havia a expectativa de pagamento em Campina Grande na quarta-feira (27), mas não saiu e não temos previsão nenhuma”, disse o diretor de Comunicação do Sintab, Napoleão Maracajá.

O problema no pagamento foi confirmado pela própria prefeitura de Campina Grande na semana passada. No entanto, a administração municipal botou a culpa do atraso na conta do governo federal. A alegação era de que um repasse extra prometido aos municípios não tinha chegado, justificando que a situação afetava apenas uma pequena parcela de servidores que têm salários mais elevados. A prefeitura tinha prometido fazer o pagamento até esta quinta, “independentemente do repasse federal prometido”.

O blog tentou contato com o secretário de Finanças e Receita de Campina Grande, Joab Pacheco, e com o de Administração, Paulo Roberto Diniz, mas as ligações não foram atendidas.

Segundo Napoleão, na área de atuação do Sintab também atrasaram o 13º salário as prefeituras de Pocinhos, Montadas, Serra Redonda e Fagundes. “Os municípios receberam hoje o repasse do FPM, podiam usar esse dinheiro para fazer o pagamento”, pontuou o dirigente sindical. Ele acrescentou que quando acabar o recesso judiciário o Sintab deve entrar com ações contra estas prefeituras .

O presidente da Federação das Associações dos Municípios da Paraíba (Famup), Tota Guedes, disse na semana passada que cerca de 40% dos municípios não conseguiram fazer o pagamento aos servidores. As prefeituras estavam aguardando o dinheiro extra prometido pelo presidente Michel Temer. Na quarta-feira, a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) encaminhou ofício ao governo federal cobrando o repasse destes recursos.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *