Assessores parlamentares da oposição são barrados e causa bate-boca na CMJP

Por Angélica Nunes

 

Um dia após a conturbada votação da proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício 2018, de João Pessoa, o líder da base de oposição ao prefeito Luciano Cartaxo (PSD), Bruno Farias (PPS), acusou, a Mesa Diretora da Câmara Municipal de impedir o acesso dos assessores parlamentares dos vereadores da oposição à sessão extraordinária, realizada na tarde desta quarta-feira (27) de forma improvisada no prédio anexo da Casa. A quebra de braço entre as duas bancadas foi o alvo de debates na sessão desta quinta-feira (28).

A queixa do líder oposicionista foi seguida por outros vereadores da bancada que haviam ocupado a Mesa do plenário para tentar impedir a votação da matéria, como a vereadora Sandra Marrocos (PSB) e o vereador Marcos Henriques (PT). “Zennedy Bezerra entrou e porque nossos assessores não puderam entrar? Aqui é a Casa do povo e não do prefeito Luciano Cartaxo”, questionou, ainda, o vereador Leo Bezerra (PSB), autor da emenda que foi pivô de toda a discussão.

A 1ª secretária da Mesa Diretora da Casa, vereadora Raíssa Lacerda (PSD), que é da base do prefeito, admitiu que os assessores dos parlamentares foram impedidos de entrar, mas negou que não houve publicidade dos atos. “Todos os vereadores foram devidamente convocados, a imprensa esteve fazendo cobertura, inclusive com a transmissão da TV Câmara”, declarou, durante a sessão.

Mesmo com a declaração de Raíssa, Sandra Marrocos seguiu com as queixas à condução da votação da LOA, na tarde de ontem, mesmo tendo os microfones desligados. O presidente da Casa, Marcos Vinícius (PSDB), interviu na discussão para dar início a sessão ordinária. O tucano chegou a cobrar decoro parlamentar da socialista. “Isso aqui não é circo. Espero que a senhora se comporte, tenha respeito pela Casa e não faça debate paralelo”, aconselhou.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *