Uma porta para o além na capela do Cemitério de Sapé

Caixão foi colocado no lugar de porta quebrada de capelinha durante o fim de semana

Caixão com ossos foi colocado na porta da capela. Prefeitura fala em armação. Foto: Divulgação

A poucos dias da data dedicada aos finados, o 2 de novembro, a população de Sapé, Zona da Mata, viveu uma situação inusitada. Quem visitou o cemitério da cidade no fim de semana deu de cara com um caixão no lugar da parta da capelinha. O tema virou motivo de protesto no município. O presidente da Câmara de Vereadores, Jhoni Rocha (PSDB), usou as redes sociais para criticar o que chamou de “descaso”. A prefeitura se defende e acusa os adversários de terem armado o cenário para desgastar a imagem do prefeito Roberto Feliciano (PSB).

O caso ganhou repercussão no fim de semana. De acordo com as informações preliminares, a porta da capela havia quebrado e a prefeitura mandou para o conserto. Por conta disso, um dos coveiros que trabalham no cemitério colocou um caixão, com ossos, para tapar a entrada. Ao produtor da CBN João Pessoa, Talles Teixeira, um outro coveiro, identificado apenas pelo nome de Beto, falou que o colega fez a substituição para “quebrar o galho”. O objetivo seria impedir que pessoas de uma comunidade próxima consumissem drogas dentro da capelinha existente dentro do cemitério.

O secretário de Comunicação de Sapé, Romero Baunilha, no entanto, nega a informação. Ele alega que o cenário foi montado. “Estamos abrindo uma sindicância para investigar responsabilidades. Achamos lamentável que um fato destes seja utilizado para desgastar a imagem da cidade”, ressaltou. Baunilha alega que a retirada da porta ocorreu dentro do trabalho realizado pela prefeitura de preparação do cemitério para o Dia de Finados. “Imagina se a gente ia autorizar uma profanação destas?”, questionou o auxiliar do prefeito Roberto Feliciano. Baunilha garante que as responsabilidades serão apuradas e haverá punição.

O blog tentou contato com o presidente da Câmara de Sapé, Jhoni Rocha, mas ele não retornou as ligações telefônicas. Romero Baunilha disse que o caixão foi retirado logo após a repercussão do caso. A porta da capela já foi reposta.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *