São João: prefeitura tira Parque do Povo do pólo principal e amplia espaço da festa

Estação Velha, em Campina Grande, vai sediar principais atrações e terá espaço permanente dedicados à cultura

O prefeito Romero Rodrigues fez a apresentação, nesta terça-feira (5), do novo espaço para o São João de Campina Grande. Foto: Max Silva

O Parque do Povo, em Campina Grande, não vai mais abrigar o pólo principal do ‘Maior São João do Mundo’. O anúncio foi feito durante entrevista coletiva, nesta terça-feira (5), pelo prefeito Romero Rodrigues (PSDB). O ponto principal da festa, agora, vai ser a área da Estação Velha, no bairro de mesmo nome. A área total da estrutura prometida pelo gestor é de 52 mil metros quadrados, quase o dobro da atual, que é de 27 mil metros quadrados. A proposta, reforça Rodrigues, não é acabada. Ele abrirá espaço para a discussão do tema com a população, através das redes sociais. A prefeitura já iniciou o processo de desapropriação da área, que tem um trecho em poder da iniciativa privada.

“O sigilo era necessário na busca de encontrar uma solução alternativa para dar um pouco mais de grandeza para a festa. No ano passado tivemos que fechar uma festa dentro de cinco meses. Ganhamos uma musculatura maior neste ano. Vamos apresentar um modelo que vai possibilitar que as pessoas apresentem sugestões nas redes sociais”, disse Romero Rodrigues. Ele falou também das estratégias para promover a festa mais tradicional da cidade. Uma delas é a escolha do Maior São João do Mundo como tema do samba enredo da Escola de Samba Mangueira do Amanhã, do Rio de Janeiro.

Festa vai ocorrer na área do Parque do Povo e na Estação Velha. Foto: Max Silva

O ponto que poderá gerar polêmica é mesmo a mudança do pólo central da festa depois de décadas de tradição. O Parque do Povo vai abrigar um estacionamento e a parte integrante da Vila das Quadrilhas, na área onde fica a pirâmide, além da Vila do Artesanato. De lá, a festa será estendida até a Estação Velha, onde ficarão os principais atrativos do São João. Romero Rodrigues ressaltou que na área haverá apresentação de quadrilhas no ano inteiro. Do Parque do Povo, vai ser aberto um acesso pela Rua Almeida Barreto até o novo local onde ficará a festa, na Estação Velha. O novo pólo de eventos vai ser chamado de Ronaldo Cunha Lima.

O novo pólo vai abrigar a Vila da Poesia Popular, ao lado da Estação Velha. Vai ter também o Memorial do Maior São João do Mundo, o Museu Fonográfico Luiz Gonzada, o Memorial Jackson do Pandeiro e o Memorial Marinês e das Sanfonas. A estrutura vai permitir que o Trem do Forró, que sai de Campina Grande para Galante, seja integrado à festa. Para ser mais claro, ele vai passar dentro da festa. A expectativa é a de que a estrutura já esteja pronta no Natal. A arena de shows, assegura Romero Rodrigues, terá capacidade para 70 mil pessoas. Ele garante, também, que a festa continuará sendo gratuita.

Haverá área também destinada aos bares e fast foods. O espaço vai abrigar a Cidade Cenográfica e a Praça do Poeta, em homenagem a Ronaldo Cunha Lima. No local será instalado ainda o Museu dos Santos Juninos. O evento terá uma entrada pela Avenida Assis Chateaubriand. Sobre o processo de desapropriação da área, a prefeitura informou que parte dela pertence à União. Outro trecho é de propriedade da multinacional Walmart, empresa que comanda o Bompreço.

3 comentários - São João: prefeitura tira Parque do Povo do pólo principal e amplia espaço da festa

  1. juliana Disse:

    O PROBLEMA AGORA É TEMPO DE TÉRMINO, E DINHEIRO PARA REALIZAÇÃO!

  2. cris Disse:

    Será uma perda histórica da tradição de campina grande.Porque o marco da festa foi sempre o parque do povo.Da mesma forma que irá dessapropriar a região da estação velha, também poderia indenizar as casas ao redor do parque do povo.

  3. MARIA DO SOCORRO Disse:

    Bom seria antes de tudo, proporcionar a população ja existente na área, melhorias na infraestrutura, saneamento básico e moradias, sem ter que reloca-los para outro lugar. Eu fico imaginando, quem dos que estão morando por lá , quantos gostariam de sair de onde estão, para um bairro mais longe do centro, sem contar que, ja é, esta área uma Zona Especial de Interesse Social (ZEIS). Eu acharia que fosse de bom tom, dar melhores condições habitacionais para as pessoas que vivem no perímetro desta área. Há DE SE PENSAR NO SOCIAL.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *