Morre o arcebispo emérito da Paraíba Dom José Maria Pires

Religioso estava internado em Minas Gerais, acometido de uma pneumonia

Dom José Maria Pires foi um símbolo da resistência durante o regime militar. Foto: Prefeitura de Contagem

Morreu neste domingo (27), aos 98 anos, em Belo Horizonte, em Minas Gerais, o arcebispo emérito da Paraíba dom José Maria Pires. A informação foi confirmada pela Arquidiocese da Paraíba. Ele estava internado em um hospital para o tratamento de uma pneumonia. O religioso foi levado para a unidade de saúde após participar de uma celebração. Por conta disso, de acordo com a Arquidiocese, a Igreja considera que ele faleceu trabalhando.

“A igreja perde, neste domingo em que comemoramos o Dia do Catequista, um grande pastor. Dom José foi um dos catequistas mais ativos e humildes à frente do seu rebanho, e que soube impor a sua voz, sempre que necessário, em defesa dos menos favorecidos. O ‘Dom Pelé’, como ficou carinhosamente conhecido, faz a sua passagem deixando em nós o exemplo de como ser Igreja, de como estar à frente do Povo de Deus. Descanse em paz, Dom José! Temos a certeza de que, crentes na ressurreição, ao lado do Pai, o senhor agora vai abençoar do Céu todos os que fazem a Arquidiocese da Paraíba”, disse comovido o Arcebispo Metropolitano da Paraíba, Dom Manoel Delson.

Dom José Maria Pires foi um símbolo da resistência ao governo militar, na Paraíba, durante durante a sua administração pastoral. Ele nasceu em Conceição do Mato Dentro, em Minas Gerais, em 15 de março de 1919 e foi o quarto arcebispo da Paraíba. O arcebispo emérito entrou no seminário aos 14 anos e ordenou-se padre aos 22 anos, em Diamantina. Sua ordenação a bispo veio em 1957, e a arcebispo, em 1966. Ele renunciou ao cargo em 1995, a partir de quando passou a figurar como arcebispo emérito.

Curiosamente, dom José Maria Pires faleceu exatamente no mesmo dia e mês do arcebispo emérito de Olinda e Recife, dom Helder Câmara. Assim como Pires, Câmara foi símbolo de resistência durante o regime militar. Ambos se posicionavam frontalmente contra os casos de torturas e prisões arbitrárias registradas durante a ditadura. Dom Helder faleceu em 1999, então com 90 anos de idade.

Em março deste ano, o governador Ricardo Coutinho (PSB) anunciou a disposição de dar o nome do arcebispo emérito ao Hospital Metropolitano, em construção em Santa Rita. Ele é o segundo arcebispo emérito da Paraíba falecido neste ano. O outro foi dom Marcelo Carvalheira.

 

Políticos manifestam pesar

Reprodução/Twitter

Ricardo Coutinho (PSB), governador (via Twitter)

“Muito triste c a partida de D. José Maria Pires, Arcebispo Emérito da Paraiba, nosso Dom Pelé…”; “Dom José Maria Pires, o Bispo do Povo, da Coragem e da Ternura. Uma bela e honrada existência…”; “Último encontro pessoal com Dom José Maria. Bem jovem, seguia os seus passos na resistência camponesa em Alagamar…”; “Aguardávamos sua visita a JP para que conhecesse o futuro Hospital Metropolitano de Santa Rita Dom Jose Maria Pires”

 

Luciano Cartaxo (PSD), prefeito de João Pessoa

“O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, vem a público manifestar seu mais profundo pesar pela morte de Dom José Maria Pires, arcebispo emérito da Paraíba, aos 98 anos de idade, em Minas Gerais. Ao mesmo tempo em que lamenta a morte, o prefeito Luciano Cartaxo registra sua homenagem a Dom José, o arcebispo que fez da Arquidiocese da Paraíba uma Igreja viva não apenas na fé, mas no comprometimento com os mais pobres, no combate às injustiças e na luta pela paz, dimensões expressivas da Teologia da Libertação, movimento marcante e que ajudou a mudar os rumos da história da Igreja Católica da América Latina…”

 

Gervásio Maia‏ (PSB), presidente da Assembleia Legislativa
“Perdemos um homem de luz, que lutou pela justiça e igualdade social com bravura e coragem.
Descanse em paz, Dom José”

 

Marcos Vinícius (PSDB), presidente da Câmara de João Pessoa

“A Mesa Diretora da Câmara Municipal de João Pessoa vem a público expressar seu profundo pesar pela morte do Arcebispo Emérito da Paraíba, Dom José Maria Pires, um homem de fé que ensinou sobre o quanto a tolerância religiosa é importante em um mundo tão dividido. Dom José Maria Pires era o bispo mais antigo do Brasil, e aos 98 anos ainda conservava os ideais pelos quais lutou por toda a vida: aqueles que tornam a humanidade mais justa. Era um verdadeiro homem de Deus…”

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *