TRE extingue zonas eleitorais em Campina Grande e mais nove cidades

Decisão contou com o aval de seis dos sete membros do colegiado

Magistrados aprovam a redução do número de zonas eleitorais em cidades do interior. Foto: Angélica Nunes

Agora é pra valer. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu nesta segunda-feira (14), por maioria de votos, acabar com nove zonas eleitorais. A decisão segue a orientação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O único a votar contra foi o juiz Breno Wanderley, que disse não ter se convencido da economicidade da medida. Para ele, o fechamento vai fazer com que a corte gaste mais com o pagamento de diárias. A determinação da Corte superior foi para que os tribunais reduzissem os custos de funcionamento da Justiça Eleitoral.

Com a decisão, serão extintas a 5ª Zona Eleitoral (sede em Pilar); a 12ª Zona Eleitoral (sede em Serraria); a 15ª Zona Eleitoral (sede em Caiçara); a 21ª Zona Eleitoral (sede em Cabaceiras); a 39ª Eleitoral (sede em Bonito de Santa Fé); a 45ª Zona Eleitoral (sede em Pilões); a 46ª Zona Eleitoral (sede em Alagoinha); a 54ª Zona Eleitoral (sede em Belém) e a 71ª Zona Eleitoral (sede em Campina Grande). A resolução aprovada pelo colegiado ainda será publicada no Diário Oficial Eletrônico.

A extinção das zonas eleitorais fará com que as atribuições delas sejam transferidas para outras. Com isso, a 3ª Zona Eleitoral será transferida de Cruz do Espírito Santo para Santa Rita; a 42ª Zona Eleitoral será transferida de Cajazeiras para Itaporanga; a 51ª Zona Eleitoral será transferida de Malta para Patos; a 52ª Zona Eleitoral será transferida de Coremas para Pombal; e a 74ª Zona Eleitoral será transferida de Prata para Água Branca.

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *