O ‘todos e todas’ que Sandra Marrocos insiste em inserir no dia a dia da Câmara

Vereadora deixou comissão que revisa a Lei Orgânica por causa da rejeição do grupo à “gramática de gênero”

Vereadora Sandra Marrocos critica postura de comissão, que rejeitou ‘gramática de gênero”. Foto: Olenildo Nascimento/CMJP

A vereadora de João Pessoa, Sandra Marrocos (PSB), comunicou nesta quarta-feira (9) a saída da Comissão Especial da Câmara que atualiza o Regimento Interno da Casa. A parlamentar justificou a saída por não ter conseguido incluir no texto a “gramática de gênero”. Entenda-se com isso, descontentamento devido à recusa dos colegas à proposta de inclusão de expressões como “todos e todas” para designar grupos humanos. A postura da vereadora, convenhamos, não chega sequer à condição de razoável. A gramática de gênero, que não é usada no nosso dia a dia, não contribui para a necessária redução do machismo ou com a que o tema precisa.

Não quero, com isso, minimizar o trabalho da vereadora. Afinal, ela tem atuação destacada na defesa das minorias e debates dos temas da cidade. Não é possível, no entanto, deixar passar batido o juízo sobre temas que não engradecem o Legislativo. A vereadora fez discurso nesta quarta para demonstrar seu descontentamento. Criticou a ausência dos membros da mesa diretora, notadamente o presidente da Casa, Marcos Vinícius (PSDB). Houve desconforto também com o presidente da comissão, João Corujinha. E por quê? Ela explicou: “quero ser chamada de vereadora e não de vereador”.

A língua portuguesa trata grande parte dos plurais no masculino desde que foi reconhecida como idioma oficial de uma nação. Nem por isso deixou de retratar homens e mulheres. Se a lógica fosse válida, ao nos referirmos a pessoas, não poderíamos incluir o gênero masculino. Respeito a bandeira, mas ela não pode surgir como imposição. O texto-base da comissão que analisou o Regimento Interno da Câmara agora será discutido na Comissão de Constituição e Justiça. No caso das propostas apresentadas por Sandra Marrocos e que ficaram de fora, ela promete apresentar em forma de projetos. O debate tende a ser demorado.

2 comentários - O ‘todos e todas’ que Sandra Marrocos insiste em inserir no dia a dia da Câmara

  1. Tila Disse:

    A esquerda é uma aberração.. quanta mediocridade.

  2. Adriano Bezerra Disse:

    Eu fico indignado quando vejo esses erros grosseiros por parte de parlamentares que, vira e volta, desconhecem a língua e querem empurrar termos que não influi e nem contribui com a persona do indivíduo. É o mesmo caso que vi quando assistia a TV SENADO, quando uma parlamentar do PT afirmou na época que a presidente Dilma era “a PRESIDENTA INOCENTA”. São discussões deste tipo que não influem e nem contribuem.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *