‘Deveria haver cláusula de barreira para político ineficiente”, diz Ricardo

Governador reagiu a questionamentos sobre segurança hídrica e acusações ação para marcar visita de Lula

Ricardo Coutinho é acusado por setores da oposição de querer agradar Lula, marcando a normalização do abastecimento para o dia 26. Foto: Francisco França

O governador Ricardo Coutinho (PSB) não gostou dos protestos feitos pela oposição contra o fim do racionamento em Campina Grande. Durante solenidade de entrega de reformas em escolas, nesta quarta-feira (9), ele disse que “deveria haver cláusula de barreira para político ineficiente’. A crítica ocorreu após aliados do prefeito Romero Rodrigues (PSDB) criticarem a normalização do abastecimento. A alegação deles é que há risco de retorno ao racionamento por causa da baixa acumulação de água no Açude Epitácio Pessoa. Alegam também que a data escolhida para a normalização do atendimento seria para contemplar o ex-presidente Lula (PT), que estará na Paraíba nos dias 26 e 27 deste mês.

A suspensão do racionamento está marcada para o dia 26. O anúncio foi feito nesta terça-feira (8), em Campina Grande, pelo secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia do Estado, João Azevedo. “Estamos com volume de 7,9% e com certeza estaremos com 8,2% no dia 26 deste mês ou talvez até acima desse volume”, disse Azevedo. O argumento foi reafirmado por Coutinho. Ele alegou que tem entrado mais água no Açude Epitácio Pessoa do que saído e isso é o que vai dar a garantia hídrica. As disposições em contrário ele atribuiu ao despreparo da oposição. “A oposição não entende de nada, não sabe onde a coruja pia”, ironizou o governador.

Oposição

O presidente da Agência Municipal de Desenvolvimento, vereador licenciado Nelson Gomes, repudiou com veemência a decisão por parte do governo do estado em acabar com o racionamento d’água em Campina Grande. “Isso é um absurdo! Um pré-candidato ao governo do estado a mando do governador vir fazer média em nossa cidade. Sou totalmente contra o fim do racionamento. Poderia até haver uma redução, mas o fim?! Jamais!”, disparou Nelson. Ele acrescentou que vários pontos devem ser analisados, dentre eles, a vazão de entrada da água da transposição que é bem menor que a saída, além de não haver nenhum tipo de fiscalização no que se refere às inúmeras construções irregulares de barragens ao longo do rio Paraíba.

Outro crítico à decisão foi o vereador João Dantas (PSD), líder da bancada governista na Câmara Municipal de Campina Grande. Ele alega que a decisão foi precipitada porque, segundo ele, o Açude de Boqueirão sofreu uma recarga de apenas 4%. O parlamentar alertou ainda para o perigo da liberação da irrigação com a água da transposição. “Estas águas são destinadas ao consumo humano e animal”. “Técnicos do Ministério estimam que as ligações não autorizadas já tenham desviado cerca de 20 milhões de metros cúbicos das águas do São Francisco nos últimos 2,5 meses”. Justificam.

 

4 comentários - ‘Deveria haver cláusula de barreira para político ineficiente”, diz Ricardo

  1. maria rita Disse:

    Deveria também dar cadeia a Governador que não cumpre decisões judiciais na Paraíba !!!!! Este governador que nasceu dos sindicatos de farmacêuticos da Paraíba, ganhou o prêmio Nobel de química por ter transformado a vida dos servidores efetivos em pura merd…. Desculpe, digo, em gases. ô sina do destino… o IPEP/IASS (órgão mais perseguido na história política da Paraíba por Ricardo Coutinho) gerou o primeiro emprego público do Candidato fabricado pelo governador – no caso o Engenheiro João Azevedo. Quem diria… O engenheiro que nasceu no IPEP vai ser o algoz do próprio IPEP – Ô Paraiba boa de rio cheio de traíras…

  2. Maria Bernadete Oliveira Disse:

    A suspensão do racionamento aqui em Campina é irresponsável, tem pouca água no açude, muitos desvios, o povo já está acostumado, todo mundo se programa direitinho, não vejo razão nem necessidade de sair do racionamento, isso só deveria ocorrer qdo o açude tivesse com mais ou menos 15% de sua capacidade, isso é uma questão política, eleitoreira, irracional e irresponsável, principalmente se for para se mostrar para Lula. Quem é Lula para esse governador está querendo fazer mimos, ele tem que se preocupar com o povo que foui quem colocou ele lá como governador e não com Lula.

  3. Maria Bernadete Oliveira Disse:

    Deveria haver “Cláusula de barreira” para político ladrão, corrupto, desonesto, isso sim, é que merece uma Cláusula de barreira para o resto da vida.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *