Assembleia erra feio ao dar nome de Gervásio Maia ao Paraíba Palace

Resgate histórico dá lugar ao personalismo e hereditarismo comum à política nordestina

Paraíba Palace foi construído na década de 1930 e agora será chamado de Centro Administrativo do Legislativo Gervásio Bonavides Mariz Maia. Foto: Divulgação/ALPB

Existem vários exemplos na história que mostram como uma decisão positiva pode ser acompanhada de outra negativa. Um caso claro pode ser visto nesta quarta-feira (2) na Assembleia Legislativa. Ninguém contesta que o atual presidente da Casa, Gervásio Maia (PSB), acertou ao firmar contrato para transformar o histórico Paraíba Palace no Centro Administrativo do Legislativo. Criou as condições com isso para que um bem histórico da cidade, construído da década de 1930, fosse preservado. Perfeito, parabéns para ele pela iniciativa. Agora, convenhamos, assentir com a proposta de dar o nome de Gervásio Bonavides Mariz Maia ao prédio é um pouco demais.

O homenageado é porventura o pai do atual presidente, Gervásio Maia. Não existe personalismo e postura arcaica maior. E não adianta recorrer à desculpa de que a proposta é do deputado estadual Tião Gomes (Livres). Por mais que a memória do ex-presidente da Assembleia Legislativa mereça reverência, como o dito por aliados e adversários do ex-parlamentar, não cabe fazê-la em um prédio histórico de tamanha relevância. Não cabe, sobretudo, em um equipamento público cuja trajetória se confunde com a história política paraibana. Não cabe, principalmente, quando ele é anexado à estrutura legislativa pelo filho do homenageado.

O projeto foi votado em regime de urgência urgentíssima, vejam só, jogando no lixo a real necessidade do dispositivo. Na justificativa da homenagem, Tião Gomes justificou o grande homem que foi Gervásio Maia. Narrou também que durante embates com Gervásio Filho dizia que ele não era 20% do que foi o pai em vida. Uma postura mudada agora, na hora da homenagem. A escolha do nome foi apoiada também por Jeová Campos (PSB), o mesmo que tentou dar o nome de Ariano Suassuna ao Palácio da Redenção. É difícil entender a sanha avassaladora dos políticos para dar nome de políticos a prédios e logradouros públicos. Na época dos militares, eles homenageavam os generais. O culto ao poder, vale ressaltar, nunca mudou.

Agora, sinceramente, tal homenagem, sem contestar a importância do político, joga no lixo o senso inicialmente despretensioso de resgate do Centro Histórico. A justiça com a nossa história será feita pelo povo, como sempre. Apesar do novo nome, com homenagem ao pai do atual presidente da Assembleia Legislativa, o Paraíba Palace será sempre o Paraíba Palace.

Colaborou Angélica Nunes, do www.jornaldaparaiba.com.br

comentários - Assembleia erra feio ao dar nome de Gervásio Maia ao Paraíba Palace

  1. PEREIRA Disse:

    deveria o povo ser consultado primeiro, qual o nome que ficaria melhor, o original da fundação do prédio. pra o qual ele foi construido, ou o novo nome, o ponto de cem reis e o palace hotel faz parte da cultura do povo, um patrimonio historico da paraíba.não deveria mudar de nome.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *