Ex-secretária da prefeitura do Conde vai colaborar com a Justiça

Ministério Público poderá pedir o bloqueio e o sequestro dos bens pertencentes aos suspeitos

Alan Murilo Terruel diz que colaboração de Andréa Soares deve ajudar na implicação dos outros suspeitos. Foto: Angélica Nunes

A ex-secretária de Finanças da prefeitura do Conde, na Região Metropolitana, Andréa Soares da Silva, vai colaborar com a Justiça. Esta, pelo menos, é a expectativa dos investigadores. Uma operação coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e pela Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão na casa dela, em João Pessoa. De acordo com o delegado Alan Murilo Terruel, foram apreendidos cheques, dinheiro em espécie e documentos da prefeitura. “Vamos ouvi-la e dar encaminhamento a outras diligências”, ressaltou o delegado do Grupo de Operações Especiais (GOE).

As investigações revelaram a suposta ocultação de R$ 3 milhões em patrimônio em poder do suposto grupo criminoso. Andréa foi conduzida coercitivamente para o Gaeco, onde prestou depoimento e prometeu dar mais detalhes. A apuração realizada pelo Ministério Público revelou previamente que Andréa teria comprado dois apartamentos com dinheiro desviado. Os imóveis eram mantidos no nome de terceiros. Os apartamentos foram adquiridos junto à Ecomax. O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) chegou a emitir um alerta na época da aquisição. A ex-secretária depositou, no dia 06/01/2016, a quantia de R$ 224.098,00 em conta bancária da empresa mantida na Caixa Econômica.

Os depoimentos da ex-secretária, segundo Terruel, seguem no mesmo sentido do conjunto probatório levantado pelo Ministério Público até agora. Além dela, outras oito pessoas, inclusive a ex-prefeita Tatiana Lundgren, aparecem entre os beneficiários do esquema criminoso. Há indícios, por exemplo, de que apesar de as notas fiscais emitidas para a coleta do lixo na cidade serem fornecidas por uma empresa, na verdade, o serviço era executado pela gestora. Tatiana, além disso, teria recebido percentuais em outras operações suspeitas.

O Ministério Público estuda pedir o sequestro e o bloqueio dos bens em nome dos supostos beneficiados no esquema. Os outros membros suspeitos de integrar o esquema de corrupção e lavagem de dinheiro são Waleska dos Santos Perônico, secretária de Tatiana; Clóvis Marinho Falcão Leal, servidor público; Clodoaldo Fernandes, servidor público; Hildebrando Fernandes, servidor público; Alex Martins da Silva, policial militar e marido de Tatiana, e Francisco Cavalcanti Gomes, sub-procurador da prefeitura, cada um exercendo importância e relevo na suposta empresa criminosa.

Na investigação foram encontrados fortes indícios de desvio e apropriação de recursos públicos, lavagem de dinheiro, corrupção, peculato, inserção de dados falsos em sistema de informações, entre outros tantos crimes praticados pelos requeridos.

 

4 comentários - Ex-secretária da prefeitura do Conde vai colaborar com a Justiça

  1. Patricio tavares Disse:

    Dois laranjas ficaram de fora, pq a investigação corre em segredo
    Eudes Féix, ex-Chefe de gabinete da gestão Tatiana e Vailson Oliveira, Asessor particular. Ambos estão construirão 2 duas casas de 03 andares cada na praia de carapibus. O chá deles ta sendo coado

  2. Cláudio Disse:

    Parabéns para a polícia porque agora tão prendendo os bandidos que mais prejudica a sociedade

  3. Patrício Tavares Disse:

    O engraçado que um delinquente despreparado usar meu nome para fazer comentários. Meu amigo seja pelo menos homem para mostra seu rosto e expor a sua opinião sem precisar usar os nomes das pessoas.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *