Condenação de Lula sepulta eleições diretas e reduz chances de Temer sobreviver

Cobranças da população devem minar sobrevida do atual presidente

Condenação de Lula (D) terá impacto no processo que pode transformar Michel Temer em réu. Foto: Beto Barata/PR

A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pelo juiz Sérgio Moro, apesar de não produzir efeito prático imediato, mexe profundamente no tabuleiro político. Não falo aqui das chances do petista ser candidato no ano que vem. Até por que, se forem lavadas em conta as prova usadas para a condenação, não haverá surpresa nenhuma se a decisão for reformada pela turma recursão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre. A decisão, por outro lado, tende a ferir de morte as chances do presidente Michel Temer (PMDB) escapar da admissibilidade do pedido para ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e sepulta, também, a possibilidade de eleições diretas.

Em relação à sobrevivência de Michel Temer, a reação é sintomática. A condenação de Lula a nove anos e seis meses de prisão, nesta quarta-feira (12), virou alvo de comemoração dos governistas e protestos da oposição. Do primeiro grupo, espera-se a constatação de que não dá para fazer discurso de que as coisas estão mudando e que a Justiça deve ser para todos, se houver votos suficientes para salvar o Temer. É fácil entender o raciocínio: a materialidade das denúncias contra o peemedebista são muito maiores que a existente contra o petista. Contra Temer há encontro fora da agenda, conversa sobre compra do silêncio de Eduardo Cunha e de Lúcio Funaro e ainda um deputado preso com uma mala recheada com R$ 500 mil.

As lideranças governistas fizeram discurso de concordância com a condenação de Lula e não poderão fugir do discurso. É lógico que sempre há o efeito Orloff, do “eu sou você amanhã”. Afinal, com praticamente todas as lideranças de peso sob o alvo da operação Lava Jato, os condenadores de hoje podem ser muito bem os condenados de amanhã. E isso amedronta. Porém, tudo entra na conta e haverá vigilância cerrada. Por conta disso, a condenação é um duro golpe nas pretensões governistas. O líder do DEM, Efraim Filho (PB), defendeu a condenação. Como, então, ele vai votar para impedir que Michel Temer vire réu no Supremo? Não teria lógica.

Da mesma forma, com Lula condenado, cai por terra a possibilidade de campanha para cobrar eleições diretas. O petista é o favorito de forma disparada para a disputa da Presidência da República. Sem acusações, ele ganharia com um pé nas costas de todos os outros candidatos juntos. Mas condenado, a coisa muda de figura. Como convencer o cidadão médio de que a manobra não é para dar uma couraça protetora ao petista para evitar a cadeia? O juiz Sérgio Moro não determinou, na sua sentença, a prisão imediata do petista. Isso abre a possibilidade para que ele recorra em liberdade e até faça campanha pelo país afora. Agora, vamos combinar… bota o pé na estrada com um tantinho a menos de brilho junto à militância.

 

2 comentários - Condenação de Lula sepulta eleições diretas e reduz chances de Temer sobreviver

  1. Gabriel Disse:

    Só quero saber quando irão prender cassio e Aécio .

  2. Douglas Muniz Disse:

    O Brasil está mudando o processo é lento mas, devemos sempre entender que tudo na vida tem um limiar.Os políticos chegaram no limiar da situação e nós brasileiros nas próximas eleições saber votar e banir os corruptos.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *