Preso preventivamente, Justiça decide afastar Berg Lima do cargo

Prefeito teria cobrado propina de R$ 11,5 mil para pagar dívidas da prefeitura de R$ 77 mil

Berg Lima foi flagrado ao receber dinheiro de empresário para fazer pagamentos devidos ao fornecedor da Prefeitura. Foto: Reprodução

O juiz Aluízio Bezerra determinou a prisão preventiva e o afastamento do cargo do prefeito de Bayeux, Berg Lima (Podemos). Ele foi flagrado cobrando propina de um empresário da cidade para autorizar pagamentos devidos pelo poder público. A operação foi coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e contou com a participação da Polícia Civil. No pedido de prisão, o Ministério Público da Paraíba alegou a conduta “criminosa” do agente público. Os relatos do empresário mostraram a forma reiterada com que a cobrança de propina para o recebimento de valores devidos vinha acontecendo. Com o afastamento de Lima, o cargo será assumido pelo vice, Luiz Antônio (PSDB).

Eleito com a promessa de “nova política”, Berg Lima teria cobrado R$ 11,5 mil de propina para autorizar o pagamento de um resíduo de R$ 77 mil devido pela Prefeitura Municipal ainda referente à gestão passada. Ele tomou posse no cargo em 1° de janeiro. O histórico revelado pelo empresário mostra que a cobrança das propinas ocorreria não apenas para o contrato pretérito, mas também para os pagamentos referentes à atual gestão. Só para se ter uma ideia, logo no primeiro contato, para pagar a primeira parcela da dívida, o prefeito teria cobrado R$ 5 mil para poder liberar R$ 15 mil do total devido. Depois disso, recebeu mais uma parcela de R$ 3 mil e a última, quando ocorreu o flagrante, foi de R$ 3,5 mil.

Na denúncia protocolada na Justiça pelo coordenador do Gaeco, Octávio Paulo Neto, o empresário do setor de alimentos apresentou conteúdos registradas em um aplicativo de compartilhamento de mensagens acertando os pagamentos. Nelas, Berg Lima apontava o local para a entrega da propina. Cansado da extorsão, o empresário procurou a Polícia Civil e o Ministério Público em maio. Desde então, foram recolhidas provas com os indícios do crime. O flagrante foi apenas mais uma peça no quebra-cabeça que inclui extratos bancários, mensagens e captação de vídeo mostrando a chegada e saída do prefeito dos locais de pagamento.

Berg Lima foi eleito prefeito de Bayeux com 33,4 mil votos, o equivalente a 58,92% dos votos válidos. Os vereadores da cidade vão se reunir nesta quinta-feira (6), extraordinariamente, para decidir o que fazer em relação ao prefeito. Eles aguardam o posicionamento do jurídico da Casa em relação ao caso. A tendência é que seja marcada data para o afastamento definitivo do gestor. Berg Lima é alvo de um pedido de instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Casa. O objetivo é investigar a contratação de servidores fantasmas. O prefeito está detido no Batalhão da Polícia Miliar.

Resposta da prefeitura

Nesta quarta-feira (5), o prefeito de Bayeux, Berg Lima, foi vítima de uma armação política que se utilizou de um empresário inescrupuloso para tentar destruir um mandato obtido por meio da maior votação da história do município. O prefeito confia na Justiça e irá esclarecer os fatos, provando que não praticou qualquer ato ilegal contra o povo e a cidade.

 

2 comentários - Preso preventivamente, Justiça decide afastar Berg Lima do cargo

  1. Crisvalter Disse:

    O pior nesses corruptos é a negação do que provado, como se s população fosse idiota. Esse caso desperta compaixão: destruiu a vida por tão pouco e de forma premeditada.

  2. Grande magistrado Homem que o Brasil esta precisando no momento atual.O Dr. Aluízio.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *