Michel Temer publica artigo: “Brasil não pode parar”

Presidente foca na economia em mensagem à população

Brasília – O presidente Michel Temer tenta ressaltar pontos positivos do seu governo na área econômica. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente Michel Temer (PMDB) publica artigo, nesta terça-feira (4), voltado para a questão econômica. Com o título o ‘Brasil não pode parar’, fala das reformas e cita a recuperação do emprego, apesar de ela ainda ser tímida. O gestor é alvo de um pedido de abertura de processo remetido à Câmara dos Deputados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Para piorar o momento difícil, nesta segunda-feira (3), viu um dos seus principais aliados, o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), ser preso. Vieira é acusado de tentar atrapalhas as investigações da Lava Jato. Neste momento, Temer busca apoio para evitar o avanço das investigações contra ele no Congresso. Confira a íntegra do artigo:

BRASIL NÃO PODE PARAR

*Michel Temer

O título deste artigo faz referência a uma frase que era orgulho de paulistas e, posso dizer, de brasileiros em geral. Durante anos ecoava em todo o país o brado “São Paulo não pode parar”. Hoje, esse sentimento e essa convicção estão presentes em todos que percebem que o país mudou. O Brasil não pode parar. Ninguém conseguirá tirar o nosso país dos trilhos do crescimento e da justiça social.

A resposta à crise artificial é clara. Tivemos abertura de novos empregos em três dos cinco primeiros meses do ano, em fevereiro, abril e maio. Em 2017 a geração de empregos já é positiva. Nosso trabalho agora é ampliar esse quadro e absolver os milhares de brasileiros que estão fora do mercado de trabalho.

Estamos a um passo da aprovação da proposta de modernização trabalhista que enviei ao Congresso Nacional, que simplifica as leis trabalhistas. Ela passou pelas comissões temáticas e, agora, vai para o plenário do Senado.

Esta reforma é fruto de muito diálogo com todos os setores envolvidos, especialmente os trabalhadores. De acordo com estudo divulgado recentemente, a modernização trabalhista, junto com a lei da terceirização, pode gerar 2,3 milhões de empregos formais em curto espaço de tempo.

Ela pune o empregador que pagar salários diferentes para homens e mulheres que exerçam a mesma função. Fortalece o papel do sindicato nas relações trabalhistas, dando força de lei do acordo coletivo. O Brasil, hoje, tem 90% de todos os litígios trabalhistas ocorridos no mundo.

Patrões e empregados vão poder negociar questões pontuais, como duração da jornada de trabalho e adequação desta jornada para diferentes públicos; trabalho remoto; banco de horas; participação nos lucros.

Meu governo tomou medidas que dão mais segurança ao trabalhador no mercado de trabalho e simplifica a busca de novas colocações. Lançamos, em dezembro de 2016, uma plataforma antifraude no seguro-desemprego. Já foram bloqueados 29.871 requerimentos e evitadas fraudes no valor de quase R$ 153 milhões, propiciando economia direta e indireta no valor de cerca de R$ 487 milhões.

Em maio deste ano, lançamos o Sine Fácil, um aplicativo móvel que permite ao trabalhador encontrar, sem precisar gastar dinheiro com deslocamentos até uma agência do Sine, vagas adequadas ao seu perfil. Até o último dia 23, o Sine Fácil tinha encaminhado 11.684 pessoas a vagas de emprego.

O momento que atravessamos exige responsabilidade de todos. Responsabilidade com as pessoas, com a coisa pública, responsabilidade com atos e palavras. O que está em jogo é a superação de uma crise sem precedentes, é o futuro do Brasil.

Por isso, repito: o Brasil não pode parar. O Brasil não tem tempo a perder. Seguiremos adiante.

*Presidente da República

Desde já,

Agradecemos!

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *