Galdino diz que Ricardo “elegerá” sucessor e será “supersecretário” do governo

Socialista acredita que o governador não vai disputar cargos em 2018

Ricardo Coutinho (D) durante transmissão de posse para Adriano Galdino (E) em solenidade no Palácio da Redenção. Foto: Francisco França

O ninho socialista tem acalentado uma nova tese sobre as eleições de 2018. Por ela, o governador Ricardo Coutinho (PSB) não se afastará do mandato para disputar o Senado e concluirá o mandato. Mas não apenas isso. O plano não prevê a possibilidade de derrota. Ele elegerá o sucessor, seja lá quem for, e será o supersecretário da próxima gestão, para dar continuidade “às conquistas” do atual governo. O porta-voz da estratégia foi o deputado estadual Adriano Galdino (PSB), que faz a ressalva: “essa é uma tese minha”. O parlamentar, no entanto, admite que não há ainda nome de consenso para a disputa. “Temos vários”, ele assegura.

“(Ricardo Coutinho) Será o supersecretário. Ele será o fiador da próxima gestão. Ele vai colocar alguém da sua inteira confiança para ser o novo governador da Paraíba, para continuar a sua gestão administrativa e o governador será o secretário desta gestão, quem sabe. E nesta condição será o supersecretário, terá condições de manter, de avaliar, as questões políticas de hoje para ser continuada na próxima gestão”, destacou Adriano Galdino, dando a entender que o sucessor do governador, caso seja eleito dentro do grupo, terá papel figurativo, já que a prioridade será manter as conquistas e o modo de governar de Ricardo Coutinho.

O papel de supersecretário é ocupado hoje, no governo da Paraíba, por João Azevedo. Ele comanda a pasta de Infraestrutura, Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia. Azevedo também é o principal nome lembrado para a disputa e, portanto, nas contas socialistas, a trocar de lugar com Ricardo Coutinho. Perguntar não ofende: o atual mandatário vai despachar, a partir de 2019, na Secretaria de Infraestrutura ou no Palácio da Redenção?

5 comentários - Galdino diz que Ricardo “elegerá” sucessor e será “supersecretário” do governo

  1. juliana Disse:

    ADRIANO GALDINO SO QUER SER A MÃE DINAH; SÓ QUE ESSAS PREVISÕES DELE É SEMPRE FALHA, PQ EM 2016 ELE TINHA DITO QUE IRIA SER ELEITO PREFEITO DE CAMPINA GRANDE, E LEVOU A MAIOR LAPADA DE VOTOS DO SÉCULOS; NUM UNIVERSO DE MAIS DE 300 MIL VOTOS, ELE SÓ TEVE 9 MIL! KKKKKKKKKKKKKKKK

  2. juliana Disse:

    AMBIÇÃO MISERÁVEL DE PODER É ESSA DE RICARDO COUTINHO; O CARA DEIXAR DE SER ELEITO SENADOR POR MANDATO DE OITO ANOS, SÓ PRA NÃO CORRER O RISCO DE DEIXAR A VICE GOVERNADORA LIGIA FELICIANO COM A CANETA NA MÃO, E AO MESMO TEMPO ELA TOMAR GOSTO PELO PODER E QUERER SAIR CANDIDATA A REELEIÇÃO; RICARDO SEMPRE ESCANTEIA OS SEUS VICES, FOI O CASO DE ROMULO GOUVEIA, MANUEL JUNIOR, E LUCIANO AGRA; E NO ANO DE 2018 SERÁ A VEZ DE LIGIA FELICIANO!

  3. Carlos Alberto Alves Disse:

    Caro deputado o Super secretário João Azevedo é um bom técnico e nunca foi votado na sua trajetória pública portanto arranje outra estratégia viável .O problema é que
    o Governador navegou por mares turbulentos ,foi contra o impeachment da Dilma de triste memória e continua errando querendo jogar contra o Governo Temer.É malhar em ferro frio Governador se assessore melhor.

  4. Wilson Disse:

    Interessante! Ricardo Coutinho foi o primeiro do PSB que teve a coragem de se posicionar contra o empeachement. Hoje todo o PSB desembarcou da base do governo Temer. Será que ele estava errado? Políticos sérios não são golpistas.

  5. Marcos dos Filtros Disse:

    Tem muita água pra rolar no que se diz respeito a esse assunto. Existem previsões com tempo mais curto que ainda não sabemos ao certo no que vai dá. Ex. O futuro de Temer.
    É aí Suetoni que lembro-me de uma frase de Magalhães Pinto, ” Política é igual nuvem, você olha ela tá de um jeito, olha de novo ela já mudou”.
    Ainda não se sabe qual vai ser a posição do PMDB de Maranhão, do PSD de Luciano. Uma coisa é certo, na política tudo pode acontecer até mesmo a cantiga da ponte de Lucena/ João Pessoa voltar a tona.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *