Construção de presídio federal em Bayeux é marcada por polêmicas

Tema será debatido em audiência pública nesta quinta-feira

Vereadores embarcam em ônibus para conhecer presídio de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Foto: Reprodução/Facebook

Moradores de Bayeux iniciaram uma mobilização pelas redes sociais tentando impedir a construção de um presídio federal na cidade. O tema volta a ser discutido nesta quinta-feira (1º) em audiência pública organizada pelo Ministério da Justiça. O encontro vai ocorrer na Escola Técnica, na Avenida Liberdade. O embate ocorre em meio à viagem do prefeito Berg Lima (Podemos) para conhecer o Presídio Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Ele seguiu para o estado vizinho acompanhado de uma comitiva de vereadores da cidade. O objetivo é conhecer a experiência e saber os prós e contras do investimento. O tema tem arrancado muita polêmica no município.

A construção do presídio na cidade da Região Metropolitana é dada como certa pelo Ministério da Justiça. Em visita ao Estado, na semana passada, o agente federal de execução penal do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério de Justiça (MJ), Felipe Abath, destacou os critérios para a escolha. A articulação tem causado polêmicas na Câmara de Vereadores, puxada pela oposição. O Presídio Federal deve ser construído na área próxima à antiga Manzuá, na saída de Bayeux em direção a Natal, no Rio Grande do Norte. O temor dos moradores é que a unidade abrigue criminosos perigosos e, com isso, outros bandidos do grupo passem a viver na cidade.

Zona rural

Área onde o presídio deverá ser construído. Imagem: Reprodução/GoogleMaps

A penitenciária vai ter capacidade para 208 internos, entre presos condenados e provisórios, em quatro pavilhões. Após a fase licitatória para a obra, de dois meses, a construção do prédio deve durar mais dois anos. O secretário de Planejamento de Bayeux, Ronaldo Luiz, explicou que a coisa está menos amarrada do que o narrado pelo Ministério da Justiça. Na viagem a Mossoró, segundo ele, Berg Lima vai aproveitar para ouvir políticos e a população local para saber dos prós e contras de um presídio federal. Ele vai participar da audiência marcada para esta quinta-feira. A área onde a unidade prisional deve ser construída passou a pertencer a Bayeux há uns três anos. O terreno tem 240 hectares.

O ponto que tem sido ressaltado pelo poder público municipal para combater a polêmica é que o terreno em questão, onde funcionava uma cerâmica, não pertence ao Executivo. A desapropriação será feita com os proprietários de terra da região. “Não caberá termo de cessão da Câmara Municipal, como muitos têm dito”, ressaltou Luiz, lembrando, ainda, que o terreno fica na zona rural, em uma área muito distante da sede municipal.

Para a escolha do espaço, foram preenchidos 11 requisitos necessários para a construção de um Presídio de Segurança Máxima. “Entre os requisitos, estão a distância de até 50 km da unidade para um aeroporto de nível regional, logística e fácil acesso a órgãos públicos como órgãos de segurança e hospitais, a infraestrutura da cidade tem que colaborar com a chegada da unidade, fácil lotação para os 250 novos agentes federais e a cidade tem que oferecer condições mínimas para atendimento de serviços para a unidade”, explicou o agente federal. Abath explicou que a cidade escolhida precisava ter uma boa estrutura de empresas de prestação de serviços, ou condições para recebê-las ou criá-las, devido à demanda da penitenciária.

“Essa unidade é muito diferente dos presídios estaduais. Temos um aporte inicial de R$ 45 milhões e ela deixa R$ 7 milhões para a cidade que a recebe, em contratos de prestações de serviço, por ano. Precisamos de empresas de fornecimento de alimentação, rouparia, lavanderia, manutenção predial, apoio administrativo, limpeza e conservação, entre outros. Então a cidade tem que ter condições de receber essa demanda”, exemplificou Abaht.

7 comentários - Construção de presídio federal em Bayeux é marcada por polêmicas

  1. Roberto Alvez Disse:

    & milhões por ano para a cidade, investimento na guarda municipal, geração de emprego na construção, geração de emprego quando estiver pronta, movimentação do comércio local, o que esse povo querem mais? não é um presídio comum não gente com favela do lado, é Federal a cidade vai ser tomada por agentes federias.

  2. Edilson Gomes Disse:

    A cidade só tem a ganhar, os vereadores não estão preocupados com a o crecimento cidade ,serão gerados muitos empregos direto e indiretos, sem contar com o treinamento e equipamentos que o MJ dará para a GCM da cidade e para PMPB também, eu sou a favor!

  3. Albino Lutyane Disse:

    Sou a favor da construção, pois vai melhorar verba federal pra cidade, guarda equipada, mais polícia no setor, e geração de novos empregos. Acho que essa mobilização pra não construção do presídio federal tem cunho político! Povo besta esse que não quer!

  4. ablio dos santos Disse:

    Uma penitenciária de segurança máxima federal é muito diferente de uma penitenciária estadual. Os agentes federais virão para a cidade trazendo mais segurança, são pessoas bem pagas e bem treinadas, vão trabalhar juntamente com a GCM na cidade e a PMPB, serão mais 250 agentes para fazer a segurança da cidade, os serviços de inteligência irão trabalhar juntos. Todo mundo reclama que os políticos não trazem para a cidade mais hospitais e escolas, porém a educação e a saúde não funciona se não haver segurança, um médico não pode atender um paciente se não tiver segurança no seu local de trabalho, um professor não pode ensinar em sala de aula seus alunos se não tiver segurança. A cidade de Bayeux tem muito mais a ganhar com a penitenciária federal do que perder. Será uma das cidades mais seguras do Brasil.

  5. Benedita tavares de oliveira Disse:

    meu deus quantas pessoas desenformadas opinando em algo que não tem conhecimentos gente vão se informar melhor a respeito de como funciona um presidio federal pra não se eludir achando que os federais vão fazer a segurança dos moradores da cidade acorda gente os federais vão proteger os pressos federais não os moradores da cidade de Bayeux ate porque não é atribuições deles também não vai haver esses empregos que vcs estão pensando porque nossa cidade não tem essas empresas terceirizadas que ofereça esses serviços que o presidio precisa não temos lavanderias não empresas de alimentação nem de limpeza acorda gente vão estudar o que venha ser presidio federal

  6. Cláudio Disse:

    Porque esse presídio nao e construído na ILHA DA RESTINGAS em CABEDELO assim eles ficão mais insolado da população

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *