MPF denuncia ex-auxiliares e aliados de Ricardo Coutinho por “forjarem” compra de votos

“Flagrante” seria para beneficiar a reeleição do governador

Ex-aliados: Ricardo Coutinho e Cássio Cunha Lima estão em lados opostos desde a eleição de 2014. Foto: Rizemberg Felipe

O Ministério Público Federal (MPF) ofereceu denúncia no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contra ex-auxiliares e aliados do governador Ricardo Coutinho (PSB). O grupo teria forjado flagrante, durante a campanha eleitoral de 2014, contra o então prefeito de Caiçara, Cícero Francisco da Silva (PSB). O objetivo, segundo a denúncia, era apontar suposta compra de voto feita pelo senador Cássio Cunha Lima (PSDB), então candidato ao governo. Na época, o prefeito havia aderido à campanha do tucano. Os acusados, então, reforça a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), ligaram para o prefeito para simular o pagamento pelo apoio. A ideia era divulgar politicamente que a adesão havia ocorrido por compra de apoio.

A PRE aponta como responsáveis pela farsa o líder do governo Ricardo Coutinho na Assembleia Legislativa, Hervázio Bezerra; o ex-secretário executivo de comunicação, Célio Alves; o assessor do governador, jornalista Sales Dantas, e os advogados Fábio Rocha e Celso Fernandes. O Ministério Público aponta que a suposta “armação”, registrada no mês de julho, tinha o objetivo de prejudicar a campanha do senador Cássio Cunha Lima. Segundo o MPF, “os cinco acusados divulgaram fatos que sabiam inverídicos em relação ao candidato (Cássio) capazes de influenciar o eleitorado, além de caluniar e difamar os candidatos para fins de propaganda imputando-lhes fatos definidos como crimes e ofensivos à reputação”.

A farsa montada

Na época, o jornalista Sales Dantas telefonou para o prefeito de Caiçara, Cícero Francisco da Silva, se fazendo passar por um assessor do senador, oferecendo dinheiro para que aderisse à candidatura do tucano. Segundo os autos, o plano foi arquitetado pelo deputado Hervázio Bezerra e executado por Sales Dantas com a anuência do ex-secretário Célio Alves e dos advogados.

Depois de feita a gravação, o deputado, os assessores do governador e os advogados convocaram uma coletiva na Associação Paraibana de Imprensa para fazer a denúncia. A coletiva foi transmitida ao vivo em cadeia estadual de rádio com o objetivo de alcançar o maior número de eleitores possíveis. Ainda na denuncia do MPF, mesmo sabendo que se tratava de um trote e que sabiam que não existia o crime, os denunciados foram a público para denunciar como se fosse verdade com a clara intenção de denegrir a imagem do concorrente.

O procurador Regional Eleitoral, Marcos Alexandre Queiroga, deixa claro que ao passar o trote para o prefeito e entregar a gravação para divulgação na imprensa, os denunciados tiveram o firme propósito de prejudicar o adversário do governador. Os denunciados infringiram os artigos 307, 323, 324 e 325 do Código Eleitoral e o artigo 70 do Código Penal.

O blog não conseguiu contato com os aliados e auxiliares do governador Ricardo Coutinho denunciados pelo MPF.

 

comentários - MPF denuncia ex-auxiliares e aliados de Ricardo Coutinho por “forjarem” compra de votos

  1. ODILON Disse:

    ISSO É PRATICA UTILIZADA PELOS ASSESSORES DO GOVERNADOR RC,A MASCARAS CAIUUU!!! VÃO PERDER A BOQUINHA DO GOVERNO!!!

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *