No “confronto” Lula x Moro, apoiadores e adversários comemoram

Audiência protagonizou embate entre ex-presidente e magistrado

Lula durante depoimento em Curitiba. Imagem: reprodução

O depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao juiz Sérgio Moro não fugiu ao esperado. O magistrado, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, cumpriu o seu papel. Questionou, confrontou informações e impôs algumas “saias justas” para o petista. Lula, por sua vez, seguiu o script. Respondeu, usou de retórica eleitoral peculiar aos políticos e conseguiu, em alguns pontos, impor “saias justas” a magistrados e procuradores. A ex-primeira-dama, Marisa Letícia, falecida no início do ano, foi personagem constante em acusações e respostas que não poderão ser confrontadas.

Em vários momentos, a defesa orientou o ex-presidente a não se pronunciar porque as perguntas não eram objeto do processo. Um exemplo disso foram declarações de Lula a respeito do Mensalão, em 2005, ação da qual ele não foi arrolado como parte. Outra disse respeito ao sítio de Atibaia, também atribuído ao petista por meio de suposta propina. Lula disse ser perseguido pela imprensa e pelo Ministério Público Federal. Em alguns momentos, demonstrou irritação os procuradores da república e enfatizou o fato de eles serem jovens e cobrou respeito.

Procuradores

“Estou sendo julgado por causa de um powerpoint mentiroso”, disse Lula. “O dr. (Deltan) Dallagnol deveria estar aqui para explicar aquele famoso powerpoint. Aquilo é uma caçamba, onde cabe tudo”, acrescentou o ex-presidente. “No embate com Moro, Lula alegou que está sendo julgado com base no que a imprensa publica ou não. E o magistrado alegou que “a imprensa não tem qualquer papel no julgamento desse processo. Ao que o ex-presidente respondeu: “O vazamento de conversas minhas, da minha mulher e dos meus filhos, foi o senhor que autorizou”.

 

O ex-presidente abusou do uso do “não sei” e de atribuir a “dona Marisa” o desejo de investir. A maioria das vezes em que ela teria agido para comprar o tríplex teria sido à revelia da avaliação de Lula. O petista disse que botou 500 defeitos no apartamento do Guarujá, garantindo que não serviria para ele. Moro quis saber detalhes das visitas e recebeu respostas evasivas. O magistrado também não conseguiu apresentar nenhum documento assinado pelo presidente ou por sua mulher que sinalizasse especificamente a compra do imóvel.

Duque

Lula demonstrou insegurança também em relação a Renato Duque, que foi indicado pelo PT para a diretoria da Petrobras. Questionado, ele admitiu ter se encontrado com o ex-dirigente e atual delator para saber se eram verdadeiras as acusações de recebimento de propina. Disse ter ouvido do ex-funcionário da Petrobras que não tinha contas no exterior. Disse ter procurado ele por ser indicação do PT, mas não admitiu, sem relutância, ter questionado Vaccari Neto, também acusado. O ex-tesoureiro do PT é acusado de ter cobrado propina para financiar campanhas do PT.

Em vários momentos, Lula buscou confrontar os investigadores. A atuação do Ministério Público, que o aponta como “líder da quadrilha que saqueou a Petrobras”, foi bastante criticada. “Como eles [procuradores] contaram uma primeira inverdade, eles vão morrer contando inverdade, porque ficaram prisioneiros da imprensa”, disse o ex-presidente. E não deixou, por isso, de se apresentar como vítima: “Eu tenho 71 anos de idade, 5 filhos e oito netos, e tenho netos de 4 anos de idade, de 5 anos de idade, que sofrem bullying na escola por conta de mentiras.”

Facebook

O ex-presidente usou o depoimento como primeiro passo para o ato político realizado em seguida. Todos os vídeos do depoimento foram disponibilizados no perfil de Lula no Facebook. Ele foi recebido por uma militância numerosa em Curitiba, onde houve um ato político com a presença da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Houve discursos com palavras de ordem e críticas às investigações da operação Lava Jato. O grande mote do ex-presidente durante todo o processo foi dizer, assim como no caso do Mensalão, que ele não sabia de nada.

Sobre os crimes apontados, Lula chegou a confrontar Moro. Disse que ele deveria saber mais do que ele, já que soltou Alberto Yousseff, condenado no caso Banestado. O mesmo Yousseff, solto, teve participação ativa nos escândalos da Petrobras.

 

2 comentários - No “confronto” Lula x Moro, apoiadores e adversários comemoram

  1. Esse “santo” homem ( Lula ) de tão inocente que é, nos próximos dias estará sendo canonizado pelo Papa “Chiquinho”. O Brasil terá mais um santo na praça!

  2. Floriano Marques da Silva Disse:

    * Criticar o MPF, a PF, dentre outras respeitáveis Instituições e as decisões da Justiça brasileira é grave incitação à desordem e a desobediência civil.
    * Não vemos nenhum outro político que também já foi presidente fazer essas incitações. Dilma, Sarney, Collor e Fernando Henrique também foram citados em Petições do Ministro Fachim e, no entanto estão aguardando com serenidade as decisões da Justiça.
    * “Lista de Fachin: Delação da Odebrecht levanta suspeita contra 5 ex-presidentes e 12 governadores” – ÉPOCA – Dia 11.04.17 – http://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2017/04/stj-vai-investigar-nove-governadores-citados-em-delacoes-da-odebrecht.html

    * Até quando Lula vai ficar criticando a imprensa, afrontando as Instituições e a Justiça brasileira e subestimando a inteligência e a paciência de 200 milhões de brasileiros ao dizer que não sabia de nada, não viu nada, é marolinha, coisa das elites e de parte da justiça brasileira. Chega, Basta!!!
    * Frase de Abraham Lincoln: “Podeis enganar toda a gente durante um certo tempo; podeis mesmo enganar algumas pessoas todo o tempo; mas não vos será possível enganar sempre toda a gente.”
    * Lula dividiu o Brasil ao não saber conviver com o conflito de opiniões e o contraditório na política e, pelo fato de não aceitar críticas, o PT semeou durante os últimos anos uma inaceitável, perigosa e gravíssima incitação ao ódio e ao conflito de classes sociais e até Regionais ao alegar que o cidadão que não concordasse com suas práticas, normas e conceitos políticos estavam contra o Brasil, o que é muito grave para a nossa Democracia e a manutenção do Pacto Federativo, pois uma das bases do democratismo é saber conviver com a oposição e opiniões contrárias e respeitar as Instituições e as decisões da Justiça e; com isso, Lula repartiu o Brasil entre os contra e a favor das atrasadas pregações e das antiquadas normas, conceitos e práticas políticas do PT que destruiu a economia do Brasil com a retrógrada política do Pão & Circo e levará mais de 20 anos para ser reconstruída. – http://www.florianomarques.com.br/site/arquivos/ALERTA_E_PREVISAO-JP-PB-dia_06-06-16.pdf
    *Quando era oposição Lula criticava tudo e a todos e, depois que conseguiu seus objetivos políticos, usa a influência política para intimidar, amedrontar, afrontar e processar as pessoas que tem opiniões diferentes e, discorda das suas práticas políticas e, esquecendo que a principal regra da Democracia é saber convier com críticas e com o contraditório, caso contrário vira autoritarismo e não podemos mais aceitar essa retrógrada prática política em pleno século XXI.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *