Falta nexo a quem usa Dilma para defender reformas de Temer

Presidente e ex-presidente ostentam impopularidade histórica

Aliados de Michel Temer usam declarações de Dilma para justificar reformar. Foto: Lula Marques/Agência PT

Os aliados do presidente Michel Temer (PMDB) têm usado vídeos da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) para defender as reformas propostas pelo Executivo. Não faz sentido. Por que o presidente mais impopular da história usa a presidente mais impopular da história como modelo? Os vídeos em questão tratam das reformas trabalhistas e previdenciária. Ambas são propostas por Temer e eram defendidas por Dilma. A petista foi alvo de um impeachment quanto tinha avaliação positiva inferior a 10 pontos. O peemedebista tem avaliação pessoal ainda menor.

É suficiente para descrever a burrice ou é preciso desenhar? Dilma Rousseff e Michel Temer foram eleitos em 2014 com a promessa de manterem as conquistas sociais defendidas pelo Partido dos Trabalhadores. A gestora vinha de quatro anos de boa popularidade conquistada as custas de decisões popularescas e que o país não tinha condições de pagar. Daí vieram programas como “Minha casa melhor” e desonerações descabidas para o setor empresarial. Isso aliado a medias equivocadas que corroeram a economia. Neste rol estão a manutenção dos preços dos combustíveis de forma artificial e descontos injustificados na conta de luz.

Isso sustentou artificialmente a tese de que as coisas iam bem, até o fim das eleições de 2014. Passado o estelionato eleitoral, Dilma Rousseff nomeou Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda. Admitiu a crise na economia que negou durante a campanha no embate contra o adversário, Aécio Neves (PSDB). Resultado: teve que defender ajustes mais impopulares, muito parecidos com o que o tucano defendia. A consequência disso é que ela viu a popularidade despencar a patamares abissais. Do subsolo, presenciou o crescimento da onda pró-impeachment e o seu afastamento do governo por falta de apoio popular e, principalmente, parlamentar.

Diante de tudo isso, por mais que os defensores da reforma tenham razão sobre a necessidade de mudanças, usar Dilma como justificativa é burrice. A pesquisa divulgada pelo Datafolha neste fim de semana mostra o presidente com 61% de reprovação e uma aprovação que não alcança a marca os dois dígitos (9%). Diante disso, usar Dilma Rousseff para justificar mudança cheira a suicídio…

 

comentários - Falta nexo a quem usa Dilma para defender reformas de Temer

  1. Juracy Lucena Disse:

    A questão não seria justificar as reformas, mas que as reformas já estavam nos planos do governo Dilma/Temer. A militância ligada ao PT e que foi contra ao impechment usa o discurso contra as reformas, como as reformas fossem originárias da cabeça do Temer. Mas a verdade é outra, Temer e Dilma, PT e PMDB, hoje em lados opostos, já foram irmãos siameses.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *