Galdino mantém licença da Assembleia, mas quer dar posse a Gervásio

Angélica Nunes

Após ter tirado licença para assumir temporariamente o governo do estado, o deputado Adriano Galdino (PSB) confirmou nesta terça-feira (10) que vai permanecer afastado da presidência da Assembleia Legislativa da Paraíba até o dia 23 de janeiro. Além de se dar um descanso para fazer uma viagem a um resort com a família, o socialista, por tabela, vai contemplar o deputado Tião Gomes (PSL) com mais uns dias como chefe do legislativo estadual, mas não tanto que o aliado gostaria.

Tião Gomes esperava ficar no comando da Casa até o dia 31 de janeiro, mas Adriano Galdino já havia avisado que quer acompanhar de perto os preparativos para a posse do deputado Gervásio Maia (PMDB) para presidência da Assembleia no biênio 2019/2020. A solenidade acontece no dia 1º de fevereiro, no reinício dos trabalhos legislativos.

A dança das cadeiras para assegurar a ida de Tião Gomes à presidência da Casa teve início em dezembro do ano passado, quando o deputado João Henrique (DEM) renunciou ao cargo de 1º vice-presidente, no último dia 30 de dezembro, abrindo a possibilidade para que ele subisse do posto de 1º secretário para a função que era do Democrata na Mesa Diretora. E com a licença do governador Ricardo Coutinho e da vice-governadora Lygia Feliciano (PDT), e consequente ida de Galdino para o exercício do Executivo, Tião Gomes posse ascender à presidente da Assembleia.

Chegou-se a especular que o rodízio poderia beneficiar Tião Gomes com um ‘plus’ na aposentadoria, já que haveria um acrescimento nos rendimentos por estar presidente, mas o secretário legislativo da Assembleia Legislativa, Washington Aquino, negou que haja a possibilidade, uma vez que o exercício no cargo é provisório e interino.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *